Estudo Nacional de Prevalência de Infeção em Cuidados Continuados

As Unidades de Cuidados Continuados (UCCI) colocam um desafio particular à prestação de cuidados de saúde, uma vez que doentes vulneráveis convivem em estreita proximidade e partilham contactos sociais comuns. A frequência de infeções associadas à prestação de cuidados de saúde (IACS) entre residentes de cuidados continuados é comparável às taxas observadas nas unidades de cuidados de agudos, como destacado pelo estudo piloto realizado, em 2010, em Portugal.

A necessidade da realização de um Estudo alargado a todas as UCCI prende-se com a preocupação que as infeções associadas aos cuidados de saúde (IACS) constituem na atualidade, não só para os hospitais, como também para as UCCI e, com a importância de conhecer a dimensão do problema para se poder implementar melhorias em relação aos problemas identificados.

O Estudo será realizado entre 21 de maio e 8 de junho de 2012, na mesma altura em que se realiza o estudo de prevalência de infeção a nível dos hospitais, de forma a obter uma panorâmica das IACS no país.

Os objetivos deste estudo são: estimar a prevalência de IACS e utilização de antimicrobianos nas UCC e de reabilitação e fornecer às UCCI um instrumento padronizado que permita identificar alvos para as intervenções de melhoria de qualidade.

Será utilizado o protocolo europeu “Healthcare Associated Infections in Long Term Care“ (HALT). Para a implementação deste estudo terá que ser realizada formação a todos os profissionais que vão estar envolvidos na sua aplicação ao nível das Unidades.

Documentos a anexar:

 

 

 

Na Região do algarve todas as unidades de Cuidados Continuados aderiram a este estudo.

Cada UCC nomeou um responsável pela implementação do ENPI .

Foi feita formação para preparação do estudo no laboratório de saúde publica Laura Ayres com a coordenadora do PNCI em articulação com o Grupo Coordenador Regional de CI.

Area Cidadão