TESTES ANTIGÉNIO

farmácias aderentes

previous arrow
next arrow
Slider

Estudo Nacional de Prevalência de Infeção em Cuidados Continuados

As Unidades de Cuidados Continuados (UCCI) colocam um desafio particular à prestação de cuidados de saúde, uma vez que doentes vulneráveis convivem em estreita proximidade e partilham contactos sociais comuns. A frequência de infeções associadas à prestação de cuidados de saúde (IACS) entre residentes de cuidados continuados é comparável às taxas observadas nas unidades de cuidados de agudos, como destacado pelo estudo piloto realizado, em 2010, em Portugal.

A necessidade da realização de um Estudo alargado a todas as UCCI prende-se com a preocupação que as infeções associadas aos cuidados de saúde (IACS) constituem na atualidade, não só para os hospitais, como também para as UCCI e, com a importância de conhecer a dimensão do problema para se poder implementar melhorias em relação aos problemas identificados.

 

Após o estudo piloto de 2010 forma realizados os seguintes estudos de prevalência de Infeção e utilização de antimicrobianos nas UCCI e hospitais de reabilitação:

  • ENPI 2012

O Estudo Nacional de Prevalência de Infeção nos Cuidados Continuados (ENPI) foi o primeiro estudo nacional de prevalência de infeção adquirida nas unidades de cuidados continuados (UCCI), realizado em 2012, e teve como objectivos, por um lado, descrever a organização, recursos e práticas de prevenção e controlo de infeção nas UCCI e, por outro, conhecer a prevalência de infeção associada aos cuidados de saúde (IACS) adquiridas nas UCCI e o uso de antimicrobianos. A participação foi voluntária. A recolha de dados foi manual sendo posteriormente inseridos numa aplicação informática de apoio ao estudo. O protocolo do HALT foi adoptado com pequenas alterações sugeridas pelos coordenadores nacionais e os participantes nas acções de formação realizadas em todas as adiministrações regionais de saúde e que tiveram uma participação de 228 enfermeiros e 43 médicos de todas as UCC integradas na rede e outras 8 unidades.

Foram estudados 5 150 residentes de 232 unidades de cuidados continuados, na grande maioria integradas na Rede. A taxa de prevalência de infeção adquirida na UCCI foi de 8,1%.

 

  • HALT2 2013 (Healthcare-Associated Infections in European Long-Term Care Facilities)

O HALT2 teve como objetivo conhecer a prevalência europeia de IACS e do uso de antimicrobianos e ainda os respetivos indicadores de processo e estruturas de prevenção e controlo de infeção nas UCC.

A nível Europeu o estudo HALT2 realizou-se entre 1 de Abril e 31 de Maio de 2013 com a participação de 1181 UCC de dezanove países europeus. A nível Nacional o estudo decorreu entre 15 e 31 de Maio 2013.

Participaram neste estudo 143 UCC e foram avaliados 3043 residentes.

 

  • HALT3 2017 (Healthcare-Associated Infections in European Long-Term Care Facilities)

O estudo HALT3 (Healthcare-associated infections in long-term care facilities) –  INQUÉRITO DE PREVALÊNCIA DE INFEÇÃO E USO DE ANTIMICROBIANOS NAS UNIDADES DE CUIDADOS CONTINUADOS decorreu  no nosso país no mês de Setembro de 2017.Teve como objetivo conhecer a prevalência europeia de IACS e do uso de antimicrobianos e ainda os respetivos indicadores de processo e estruturas de prevenção e controlo de infeção nas UCC a fim de:

  1. Identificar as necessidade de intervenção, formação e/ou recursos adicionais de CI;
  2. Identificar prioridades para sensibilização e intervenção a nível nacional e local;
  3. Promover a segurança de saúde dos residentes das UCC e dos idosos, em geral.

Na região do Algarve todas as unidades de Cuidados Continuados aderiram a este estudo.

Cada UCC nomeou um responsável pela implementação do ENPI .

Foi feita formação para preparação do estudo no laboratório de saúde publica Laura Ayres com a coordenadora do PNCI em articulação com o Grupo Coordenador Regional de CI.

Voltar
RSE - Area Cidadão
felis adipiscing elit. ut nunc libero quis non libero risus.