previous arrow
next arrow
Slider

A vacinação contra a gripe para a época 2018/2019 tem início a partir da 3ª semana de outubro

Este ano a vacinação contra a gripe vai ter início a partir da 3ª semana de outubro de modo a garantir uma melhor proteção durante o período da epidemia da gripe que, em Portugal, habitualmente tem início na segunda quinzena de dezembro.

A efetividade da vacina vai decrescendo ao longo do tempo, principalmente nas pessoas mais vulneráveis (idosas ou imunodeprimidas), pelo que iniciar a vacinação mais tardiamente permitirá manter a proteção contra a gripe até mais tarde.

O Departamento de Saúde Pública e Planeamento da Administração Regional de Saúde do Algarve, de acordo com a Norma da DGS nº 018/2018 de 03/10/2018 sobre a Vacinação contra a gripe para a época 2018/2019, recomenda a vacinação contra a gripe e durante todo o outono/inverno, de preferência até ao fim do ano civil.

No Serviço Nacional de Saúde a vacina estará disponível nos Centros de Saúde a partir do dia 15 de outubro (2ª feira) para vacinação gratuita, conforme recomendado nesta Norma.

Como nas Épocas gripais anteriores, a vacinação contra a gripe é fortemente recomendada e gratuita no Serviço Nacional de Saúde para:

  • Pessoas com idade igual ou superior a 65 anos;
  • Pessoas, independentemente da idade, nos seguintes contextos:
    • Residentes em instituições, incluindo Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas, Lares de Apoio, Lares Residenciais e Centros de Acolhimento Temporário
    • Doentes integrados na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados
    • Pessoas apoiadas no domicílio pelos Serviços de Apoio Domiciliário com acordo de cooperação com a Segurança Social ou Misericórdias Portuguesas
    • Doentes apoiados no domicílio pelas equipas de enfermagem das unidades funcionais prestadoras de cuidados de saúde ou com apoio domiciliário dos hospitais
    • Doentes internados em unidades de saúde de ACES ou em hospitais do Serviço Nacional de Saúde que apresentem patologias crónicas e condições para as quais se recomenda a vacina. Os doentes poderão ser vacinados durante o internamento ou à data da alta.
  • Pessoas, com mais de 6 meses de idade, com as seguintes patologias crónicas ou condições:
    • Diabetes Mellitus
    • Terapêutica de substituição renal crónica (diálise)
    • Trissomia 21
    • A aguardar transplante de células precursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos 1
    • Submetidas a transplante de células precursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos
    • Sob quimioterapia1
    • Fibrose quística1
    • Défice de alfa-1 antitripsina sob terapêutica de substituição1
    • Patologia do interstício pulmonar sob terapêutica imunosupressora1
    • Doença crónica com comprometimento da função respiratória, da eliminação de secreções ou com risco aumentado de aspiração de secreções1
  • Profissionais de saúde do SNS com recomendação para serem vacinados
  • Bombeiros, com recomendação para serem vacinados

1 Com declaração médica referindo a sua inclusão num destes grupos de risco.

Este ano a vacinação gratuita contra a gripe foi alargada:

  • Aos estabelecimentos prisionais – guardas prisionais e reclusos
  • Às pessoas com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (Com declaração médica referindo a sua inclusão neste grupo de risco).

Consultar: a Norma da DGS nº 018/2018 de 03/10/2018 sobre a Vacinação contra a gripe. Época 2018/2019.

 

Cuidados adicionais

Os vírus da gripe estão em constante alteração, motivo pela qual todos os anos são produzidas novas vacinas contra a gripe. A vacinação é a melhor prevenção, sobretudo em relação às complicações graves.

Para além da vacinação, recomenda-se a todas as pessoas com sintomas respiratórios, que tomem as medidas habituais de Higiene respiratória e Etiqueta da tosse:

  • Cobrir a boca e nariz com um lenço de papel ao tossir e espirrar;
  • Colocar, imediatamente, o lenço de papel usado nos recipientes do lixo;
  • Tossir e espirrar para o braço e não para as mãos;
  • Lavar as mãos com água e sabão após contacto com secreções respiratórias e objetos contaminados.

Quando recorram aos serviços de saúde, os doentes (nas salas de espera e de consultas) que estejam a tossir, como forma de conter a disseminação de secreções respiratórias e limitar a propagação da infeção, devem usar a máscara cirúrgica disponibilizada pelos serviços.

 

Voltar
Area Cidadão