previous arrow
next arrow
Slider

ARS Algarve garante serviço de pequena cirurgia dermatológica em Vila Real de Santo António

Desde o mês de julho de 2015 que os utentes da Unidade de Saúde Familiar Levante, no Centro de Saúde de Vila Real de Santo António (ACES Sotavento), podem resolver problemas de dermatologia na Carteira Adicional de pequena cirurgia desta unidade.

Este projeto-piloto no âmbito dos cuidados de saúde primários da região, foi criado para dar apoio ao Serviço de Dermatologia do Centro Hospitalar do Algarve, pretendendo contribuir para facilitar o diagnóstico e tratamento precoce das diversas patologias do foro dermatológico, sem necessidade de deslocação dos utentes ao hospital numa primeira avaliação, ajudando a melhorar a eficiência e promover a rapidez no acesso a estes cuidados de saúde especializados.

As primeiras intervenções dermatológicas começaram a ser realizadas a título experimental e forma pontual em 2009 pelo Dr. Ion Ratusneac e Dr. Ricardo Cordeiro, mas foi em meados de 2015 que os dois médicos desenvolveram de maneira mais organizada o Serviço de pequena cirurgia que atualmente se realiza na USF Levante em Vila Real de Santo António. Em pouco mais de sete meses foram efetuadas perto de cem pequenas cirurgias naquela Unidade, num universo que abrange cerca de 10 mil utentes.

O primeiro passo é observar o utente na consulta de referenciação de Teledermatologia, realizada em videoconferência entre a Unidade de Saúde Familiar e o Serviço de Dermatologia da unidade hospitalar de Faro do Centro Hospitalar do Algarve. Dependendo do diagnóstico feito em colaboração com o dermatologista da unidade hospitalar de Faro, Dr. João Larguito Claro, o utente é reencaminhado para uma consulta hospitalar, ou, no caso de se tratar de uma situação mais simples acaba por ser tratado e acompanhado na Unidade de Saúde Familiar.

«Após a consulta de Teledermatologia, se detetarmos alguma lesão que necessite de cirurgia, fazemos logo a intervenção aqui. Noutros casos ficam em lista de espera», realça Dr. Ricardo Cordeiro.

«Quando encontramos lesões cutâneas que são claramente benignas, e com a experiência de vermos muitas lesões como quistos sebáceos, fibroma pêndulo ou quistos simples, nem pedimos apoio à Teledermatologia. As dez consultas de Teledermatologia ficam reservadas só para quem precisa mesmo. As peças cirúrgicas são enviadas para o Centro Hospitalar do Algarve para análise. Depois, o médico de família recebe os resultados e orienta o utente», explica.

Foi com o objetivo de evitar deslocações desnecessárias ao hospital de utentes com lesões menores que podem ser tratados in loco, que em 2009, Dr. Ion Ratusneac, coordenador da Carteira Adicional, aceitou o desafio do dermatologista do CHA, Dr. Larguito Claro, para começar a desenvolver esta prática nos cuidados primários inicialmente em Castro Marim e mais recentemente em Vila Real de Santo António, sublinhando as mais-valias deste tipo de pequenas cirurgias: «quando o utente só tem um fibroma plano ou dermatofibroma, não vale a pena deslocar-se ao hospital, nós resolvemos aqui».

Dr. Ion Ratusneac destaca que «a aquisição pela ARS Algarve de um eletrocoagulador» ajudou a melhorar as condições do serviço de pequena cirurgia. «Levou tempo, mas com insistência nossa conseguiu-se essa aquisição. Alivia muito o serviço no hospital e os nossos utentes não precisam de ir para Faro» diz, sublinhando que desta forma o processo de trabalho ficou mais facilitado e conseguiu-se melhorar a resposta aos utentes da unidade.

Com uma lista de espera a crescer dada a organização mais consolidada do serviço e com impacto visível, segundo os clínicos, «na Cirurgia de ambulatório, no Serviço de Cirurgia geral, na Dermatologia e na Cirurgia plástica» do Centro Hospitalar do Algarve, a ambição é poder aumentar a eficiência, envolver mais unidades no trabalho e abranger cada vez mais utentes e assegurar cada vez mais um serviço de proximidade. Partilhar uma sala de pequenas cirurgias com a USF Esteva, inserida no mesmo Centro de Saúde, é uma das sugestões para o futuro, no sentido de racionalizar os recursos.

Por fim, Dr. Ion Ratusneac, em nome da equipa da USF Levante, deixa um agradecimento ao Diretor de Serviço de Dermatologia do CHA, Dr. Larguito Claro, e ao coordenador regional da Telemedicina, Dr. António Pina por todo o apoio prestado, deixando uma palavra final, dirigida aos utentes, apelando ao reforço da prevenção e dos cuidados a ter com o sol. Mas destaca sobretudo: «Se têm alguma lesão suspeita e que os preocupe, venham ter connosco mostrar-nos e tirar dúvidas».

Voltar
Area Cidadão