previous arrow
next arrow
Slider

Articulação foi a palavra-chave na inauguração de novas unidades funcionais da ARS Algarve

UCC Mons Cicus, UCC Rîbat e USF Amendoeira abriram oficialmente esta sexta-feira, com as inaugurações a serem presididas pela Secretária do Estado da Saúde, Rosa Valente de Matos, que sublinhou a importância da colaboração entre a Saúde e os parceiros sociais na criação de um melhor tratamento para os utentes.

A visita às unidades do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) Barlavento iniciou na Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) Mons Cicus em Monchique, onde a equipa composta por nove profissionais receberam a Secretária do Estrado da Saúde (SES), o Presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Paulo Morgado, e o Presidente da Câmara Municipal de Monchique, Rui André.

A equipa, composta por quatro enfermeiras, uma assistente técnica, uma assistente operacional, um médico, um higienista oral, uma técnica de serviço social, presta cuidados de saúde e apoio psicológico e social de âmbito domiciliário e comunitário, nas áreas da saúde materno-infantil e dos cuidados continuados integrados, a pessoas, famílias e grupos mais vulneráveis em situação de maior risco ou dependência física e funcional ou doença que requeira acompanhamento próximo, abrangendo cerca de 5700 utentes.

No seu discurso inaugural, Paulo Morgado falou sobre a meta do Serviço Nacional da Saúde de «chegar à casa das pessoas», sendo que o trabalho realizado pelas UCC é garantir isto. «Com a colaboração da Câmara Municipal de Monchique acho que temos ainda este ano condições para ter mais um veículo próprio para chegar com ainda mais qualidade às zonas remotas deste concelho», sendo o concelho um de dez da região que vai ser reforçado com uma Unidade de Saúde Móvel de Proximidade, num projeto-piloto cofinanciado pela União Europeia.

Por seu lado, Rosa Valente de Matos realçou a importância do trabalho realizado pela UCC que exige uma colaboração da equipa de profissionais de saúde com todas as entidades no seio da comunidade para garantir os melhores cuidados aos utentes que acabam por ser os mesmos que a autarquia e a misericórdia servem. «Se todos trabalharmos em articulação, se todos falarmos uns com os outros, e se cada um faz o que lhe compete, somos todos mais felizes, temos todos melhores cuidados e servimos melhor as pessoas», realçou a governante, acrescentando que é necessário trabalhar «em rede» e «ir ao encontro das pessoas» para que possam ser cuidadas de forma que pretendem.

Com a abertura da UCC Rîbat no Centro de Saúde de Aljezur, 5600 utentes ficam a partir de agora abrangidos pela equipa multidisciplinar de 12 profissionais – cinco enfermeiras, duas médicas, uma técnica superior de serviço social, uma higienista oral, uma assistente técnica, uma assistente operacional e uma psicóloga.

No momento do descerramento da placa de inaugração da nova UCC, onde também esteve presente o Presidente da Câmara Municipal de Aljezur, José Gonçalves, Paulo Morgado sublinhou que a aquisição de uma Unidade de Saúde Móvel de Proximidade também para o concelho de Aljezur é uma «boa prática reconhecida pela União Europeia» e que vai ser «partilhada com outros países europeus». «Trazemos à Aljezur o que achamos é uma questão de justiça, de equidade e algo que as pessoas de Aljezur queriam e merecem. Ainda podemos melhorar muita coisa. A abertura desta UCC é um passo no sentido certo para dar resposta às necessidades das pessoas que são cada vez mais idosas e com dificuldade de mobilidade», disse, parabenizando a equipa.

Na sua intervenção, a Secretária do Estrado da Saúde frisou o peso de colocar as pessoas «em primeiro lugar» e de utilizar os recursos existentes na comunidade, em colaboração com outras entidades. «A nossa função é responder às necessidades das pessoas mais do que termos ideias preconcebidas sobre o que achamos que precisam. A articulação com as autarquias, incluindo as freguesias, as paróquias, as misericórdias, as equipas que trabalham nos centros de saúde, no hospital, é importante para a integração de cuidados. Se trabalhamos em articulação, se calhar não temos falta de recursos e podemos fazer mais e melhor.»

A visita da Secretária de Estado da Saúde terminou com a inauguração da Unidade de Saúde Familiar (USF) Amendoeira do Algarve,  com sede no Centro de Saúde de Lagos, e que também abrange o Polo de Saúde de Bensafrim e de Odiáxere. Nove enfermeiros, oito médicos de medicina geral e familiar e sete administrativos compõem a equipa multiprofissional que abrange cerca de 13 600 utentes.

«A realidade hoje aqui é muito diferente do que há dois ou três anos. Temos feito um caminho de sucesso na área dos cuidados de saúde primários. Temos mais profissionais. Temos equipas motivadas. Este foi, em tempo, o Centro de Saúde que tinha mais utentes sem médico de família da região. Isto hoje não se verifica. É o SNS como ele deve ser, um serviço para todos», Paulo Morgado realçou, destacando que esta é a 15ª USF na região.

«São 13 600 utentes que vão ter médico de família, é o grande passo que estamos a dar hoje», sublinhou Rosa Valente de Matos. «Este caminho foi feito porque temos um Serviço Nacional de Saúde forte, com muita competência, com muito conhecimento. Somos um SNS de qualidade e é uma honra trabalhar no Serviço Nacional de Saúde» enfatizou. Presente na inauguração esteve o vice-presidente da CM Lagos, Hugo Pereira.

A entrada em atividade destas três unidades funcionais encontra-se inserida na estratégia assumida pelo Conselho Diretivo da ARS Algarve com vista a reforçar a prestação de cuidados de saúde cada vez mais próximos das pessoas, passando neste momento a região a dispor de 14 Unidades de Cuidados na Comunidade (sete no ACeS Barlavento, cinco no ACeS Central e duas no ACeS Sotavento).

A cobertura por médico de família a nível regional é atualmente 85,4%.No ACeS Barlavento, a percentagem de utentes com médico de família atribuído tem vindo a aumentar de forma consistente e abrange mais de 70% da população. A criação da USF Amendoeira vai contribuir para um aumento significativo da cobertura por médico de família, tendo um ganho assistencial previsto de 6784 utentes. De destacar que o Centro de Saúde de Lagos passou de 77,8% de utentes com médico de família para 82,2%, entre novembro de 2017 e fevereiro de 2018.

Galeria de fotografias

Voltar
Area Cidadão