previous arrow
next arrow
Slider

Desenvolvimento de plataformas de comunicação entre os serviços e os cidadãos do Algarve e Huelva.

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0571_JANELA_ABERTA_5_P

Título do Projecto: Desenvolvimento de plataformas de comunicação entre os serviços e os cidadãos do Algarve e Huelva.

Área de Cooperação: Alentejo / Algarve/ Andaluzia

Temática: Cooperação e gestão conjunta para o fomento da competitividade e a promoção do emprego.

Convocatória: segunda convocatória do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal (POCTEP) 2007 – 2013.

 

Beneficiários

Organismos: Administração Regional de Saúde do Algarve, IP; Consejería de Salud (Junta de Andalucía); Instituto da Droga e Toxicodependência, I.P. – Delegação Regional do Algarve; Globalgarve – Cooperação e Desenvolvimento, S.A.

NUT III: ES615 – Huelva, PT150 – Algarve

Região: Algarve – Andaluzia

País: Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 413.566,65€

FEDER total aprovado: 310.175,00€

Administração Regional de Saúde do Algarve, IP: 86.666,66€ (FEDER 65.000,00€)

Consejería de Salud (Junta de Andalucía): 186.300,00€ (FEDER 140.175,00€)

Instituto da Droga e Toxicodependência, I.P. – Delegação Regional do Algarve: 86.666,66€ (FEDER 65.000,00€)

Globalgarve – Cooperação e Desenvolvimento, S.A.: 53.333,33€ (FEDER 40.000,00€)

 

Calendário:

Data de início do projecto: 05-04-2011

Data do fim do projecto: 31-12-2012

 

Características Transfronteiriças:

O objectivo e a natureza do actual projecto – a construção de canais de comunicação inovadores entre as entidades e os cidadãos – é extraordinariamente coerente com os objectivos de cooperação transfronteiriça.

É evidente que é possível promover projectos de construção de plataformas de comunicação TIC intranacionais mas o facto de o fazermos entre regiões transfronteiriças eleva extraordinariamente o nível de ambição.

As preocupações de conteúdo centralizado no contexto da saúde materna e infantil são também preocupações transfronteiriças e transversais às populações de ambas regiões, susceptíveis de motivar e potenciar a cooperação entre as mesmas.

Estão por isso reunidas as condições para promover com sucesso um projecto transfronteiriço que deverá potenciar a articulação futura das entidades e das populações das duas regiões.

 

Objectivos

Objectivo Geral:

Desenvolver a utilização das novas tecnologias da informação e comunicação (TIC) entre a administração pública transfronteiriça e os cidadãos, através do desenvolvimento de plataformas digitais TIC na área da saúde materno-infantil.

 

Objectivos Específicos:

  • Criar e implementar uma plataforma TIC para melhorar a acessibilidade dos cidadãos aos serviços públicos prioritariamente na área da saúdematerno-infantil
  • Criar e implementar uma plataforma TIC entre os parceiros, replicável a outras entidades.
  • Avaliar a eficácia das diversas formas das TIC para promover a e-inclusão da cidadania e, portanto, o empowerment da sociedade em saúde.
  • Partilhar o conhecimento acumulado em cada Região nas áreas TIC e na área da saúde materno-infantil.

 

Actividades do Projecto:

  • Criação e implementação de plataformas TIC que promova a comunicação entre parceiros, serviços públicos e famílias/utentes na área da saúde materno-infantil.
  • Produção de conteúdos e materiais pedagógicos.
  • Estudo da eficácia e limitações das TIC.

 

Resultados esperados:

– Melhorar a comunicação entre a administração pública e os cidadãos, especificamente na área da saúde materno-infantil, e melhorar a integração dos conhecimentos dos dois lados da fronteira em respostas comuns e partilhadas nesta e noutras áreas.

– Os cidadãos do Algarve e Huelva terão mais e melhor acesso a informação, à possibilidade de partilha de experiências e preocupações com especialistas e acesso a ferramentas interactivas de apoio, incluindo alertas sobre consultas;

– As instituições e profissionais que trabalham no domínio da saúde materna e infantil no Algarve e Huelva terão mais e melhor acesso a informação e formação para o desenvolvimento profissional, partilha de experiências, ideias e boas práticas, com um leque alargado de profissionais de outras áreas geográficas (de ambos os lados das fronteiras), disciplinas, organizações e sectores. Finalmente terão acesso a ferramentas de comunicação multicanal e colaboração online (com consequente redução de custos – em tempo, recursos financeiros e impactos ambientais – associados a deslocações e meios de comunicação tradicionais).

– Com base na articulação e na partilha multidisciplinar de informação, experiência e conhecimento acumulado nas duas regiões (Algarve e Huelva) conseguir-se-á:

a) Estruturar e sistematizar modelos para a vigilância da gravidez (Portugal e Espanha) e modelos para a vigilância infantil (Portugal e Espanha);

b) Estruturar, sistematizar e, sempre que adequado, homogeneizar, orientações sobre informações a transmitir à população/famílias relativas à gravidez e aos vários estágios evolutivos da vida da criança;

c) Enquadrar e propiciar uma dinâmica interfronteiriça de actividades conducentes a uma melhor informação e apoio a grávidas e a pais/mães de ambos os lados da fronteira;

d) Criar e rentabilizar um conjunto diversificado de recursos – com destaque para conteúdos multimédia digitais – cuja distribuição sistemática (no âmbito nomeadamente das Actividades 1 e 3), permitirá uma melhor informação dos cidadãos das duas regiões nas temáticas abordadas.

– Serão monitorizadas e reduzidas desigualdades sociais na participação no projecto entre os cidadãos/famílias do Algarve e de Huelva, sendo incrementada a adesão/ e-inclusão em alguns grupos mais vulneráveis com risco de infoexclusão.

– Aumentar-se-á o conhecimento transfronteiriço sobre as potencialidades de penetração do tipo de metodologia e actividades adoptadas pelo projecto em diferentes grupos da população, bem como sobre estratégias específicas para a aumentar junto de alguns públicos particulares.

– O resultado esperado para a gestão e coordenação da parceria é o cumprimento de todos os prazos e obrigações de cada um dos beneficiários.

– O projecto passará a ser conhecido como um esforço conjunto entre o Algarve e Huelva, financiado pela União Europeia, para melhorar a comunicação e a acessibilidade da Administração Pública e os cidadãos.

Entretanto, muitas famílias passarão a conhecer o projecto e a inscrever-se nos seus serviços.

– Os técnicos ligados à área da saúdematerno-infantil passarão a ter consciência dos benefícios de terem mais uma forma de comunicação com os utentes.

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0571_JANELA_ABERTA_5_P

Título do Projecto: Desenvolvimento de plataformas de comunicação entre os serviços e os cidadãos do Algarve e Huelva.

Área de Cooperação: Alentejo / Algarve/ Andaluzia

Temática: Cooperação e gestão conjunta para o fomento da competitividade e a promoção do emprego.

Convocatória: segunda convocatória do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal (POCTEP) 2007 – 2013.

 

Beneficiários

Organismos: Administração Regional de Saúde do Algarve, IP; Consejería de Salud (Junta de Andalucía); Instituto da Droga e Toxicodependência, I.P. – Delegação Regional do Algarve; Globalgarve – Cooperação e Desenvolvimento, S.A.

NUT III: ES615 – Huelva, PT150 – Algarve

Região: Algarve – Andaluzia

País: Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 413.566,65€

FEDER total aprovado: 310.175,00€

Administração Regional de Saúde do Algarve, IP: 86.666,66€ (FEDER 65.000,00€)

Consejería de Salud (Junta de Andalucía): 186.300,00€ (FEDER 140.175,00€)

Instituto da Droga e Toxicodependência, I.P. – Delegação Regional do Algarve: 86.666,66€ (FEDER 65.000,00€)

Globalgarve – Cooperação e Desenvolvimento, S.A.: 53.333,33€ (FEDER 40.000,00€)

 

Calendário:

Data de início do projecto: 05-04-2011

Data do fim do projecto: 31-12-2012

 

Características Transfronteiriças:

O objectivo e a natureza do actual projecto – a construção de canais de comunicação inovadores entre as entidades e os cidadãos – é extraordinariamente coerente com os objectivos de cooperação transfronteiriça.

É evidente que é possível promover projectos de construção de plataformas de comunicação TIC intranacionais mas o facto de o fazermos entre regiões transfronteiriças eleva extraordinariamente o nível de ambição.

As preocupações de conteúdo centralizado no contexto da saúde materna e infantil são também preocupações transfronteiriças e transversais às populações de ambas regiões, susceptíveis de motivar e potenciar a cooperação entre as mesmas.

Estão por isso reunidas as condições para promover com sucesso um projecto transfronteiriço que deverá potenciar a articulação futura das entidades e das populações das duas regiões.

 

Objectivos

Objectivo Geral:

Desenvolver a utilização das novas tecnologias da informação e comunicação (TIC) entre a administração pública transfronteiriça e os cidadãos, através do desenvolvimento de plataformas digitais TIC na área da saúde materno-infantil.

 

Objectivos Específicos:

  • Criar e implementar uma plataforma TIC para melhorar a acessibilidade dos cidadãos aos serviços públicos prioritariamente na área da saúdematerno-infantil
  • Criar e implementar uma plataforma TIC entre os parceiros, replicável a outras entidades.
  • Avaliar a eficácia das diversas formas das TIC para promover a e-inclusão da cidadania e, portanto, o empowerment da sociedade em saúde.
  • Partilhar o conhecimento acumulado em cada Região nas áreas TIC e na área da saúde materno-infantil.

 

Actividades do Projecto:

  • Criação e implementação de plataformas TIC que promova a comunicação entre parceiros, serviços públicos e famílias/utentes na área da saúde materno-infantil.
  • Produção de conteúdos e materiais pedagógicos.
  • Estudo da eficácia e limitações das TIC.

 

Resultados esperados:

– Melhorar a comunicação entre a administração pública e os cidadãos, especificamente na área da saúde materno-infantil, e melhorar a integração dos conhecimentos dos dois lados da fronteira em respostas comuns e partilhadas nesta e noutras áreas.

– Os cidadãos do Algarve e Huelva terão mais e melhor acesso a informação, à possibilidade de partilha de experiências e preocupações com especialistas e acesso a ferramentas interactivas de apoio, incluindo alertas sobre consultas;

– As instituições e profissionais que trabalham no domínio da saúde materna e infantil no Algarve e Huelva terão mais e melhor acesso a informação e formação para o desenvolvimento profissional, partilha de experiências, ideias e boas práticas, com um leque alargado de profissionais de outras áreas geográficas (de ambos os lados das fronteiras), disciplinas, organizações e sectores. Finalmente terão acesso a ferramentas de comunicação multicanal e colaboração online (com consequente redução de custos – em tempo, recursos financeiros e impactos ambientais – associados a deslocações e meios de comunicação tradicionais).

– Com base na articulação e na partilha multidisciplinar de informação, experiência e conhecimento acumulado nas duas regiões (Algarve e Huelva) conseguir-se-á:

a) Estruturar e sistematizar modelos para a vigilância da gravidez (Portugal e Espanha) e modelos para a vigilância infantil (Portugal e Espanha);

b) Estruturar, sistematizar e, sempre que adequado, homogeneizar, orientações sobre informações a transmitir à população/famílias relativas à gravidez e aos vários estágios evolutivos da vida da criança;

c) Enquadrar e propiciar uma dinâmica interfronteiriça de actividades conducentes a uma melhor informação e apoio a grávidas e a pais/mães de ambos os lados da fronteira;

d) Criar e rentabilizar um conjunto diversificado de recursos – com destaque para conteúdos multimédia digitais – cuja distribuição sistemática (no âmbito nomeadamente das Actividades 1 e 3), permitirá uma melhor informação dos cidadãos das duas regiões nas temáticas abordadas.

– Serão monitorizadas e reduzidas desigualdades sociais na participação no projecto entre os cidadãos/famílias do Algarve e de Huelva, sendo incrementada a adesão/ e-inclusão em alguns grupos mais vulneráveis com risco de infoexclusão.

– Aumentar-se-á o conhecimento transfronteiriço sobre as potencialidades de penetração do tipo de metodologia e actividades adoptadas pelo projecto em diferentes grupos da população, bem como sobre estratégias específicas para a aumentar junto de alguns públicos particulares.

– O resultado esperado para a gestão e coordenação da parceria é o cumprimento de todos os prazos e obrigações de cada um dos beneficiários.

– O projecto passará a ser conhecido como um esforço conjunto entre o Algarve e Huelva, financiado pela União Europeia, para melhorar a comunicação e a acessibilidade da Administração Pública e os cidadãos.

Entretanto, muitas famílias passarão a conhecer o projecto e a inscrever-se nos seus serviços.

– Os técnicos ligados à área da saúdematerno-infantil passarão a ter consciência dos benefícios de terem mais uma forma de comunicação com os utentes.

Voltar
Area Cidadão
fringilla suscipit felis ipsum ut venenatis Nullam elit. elementum Donec luctus