previous arrow
next arrow
Slider

Observatório de Saúde na Região Transfronteiriça (Algarve – Andaluzia)

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0129_0BSERVATORIO_SALUD_5_E

Título do Projecto: Projecto de Cooperação Sanitária entre o Algarve e a Andaluzia – Observatório de Saúde da Região Transfronteiriça

Área de Cooperação: Andaluzia / Alentejo / Algarve

Temática: Cooperação e gestão conjunta para a integração socioeconómica e institucional

Convocatória: Programa Operativo FEDER Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal 2007-2013

 

Beneficiários

Organismos:  Servicio Andaluz de Salud (SAS) (Jefe de fila)

Administração Regional de Saúde do Algarve (Sócio 1)

NUT III:  ES-04-21 Huelva, PT-15-0 Algarve

Região:  Algarve – Andaluzia

País:   Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 2.500.000 euros

Andaluzia: 2.100.000 (FEDER 1.575.000) euros

Algarve: 400.000 (FEDER 300.000) euros

FEDER total aprovado: 1.875.000 euros

 

Calendário

Data de início do projecto: 01-01-2008

Data do fim do projecto: 30-09-2012

 

Caracterização transfronteiriça

Tanto a Região de Huelva como a Região do Algarve pertencem a um contorno geográfico comum, com características similares. Com o desenvolvimento de projectos que aumentam a cooperação e intercâmbio de serviços de saúde contribui-se para a eliminação das barreiras formais existentes.

 

Numa perspectiva de uma assistência de saúde na região transfronteiriça, segura e de alta qualidade, torna-se necessário desenvolver actividades e eventualmente estruturas de utilização comum que possam rentabilizar algumas intervenções, quer diagnósticas quer terapêuticas, de escassa prevalência.

 

Com o desenvolvimento de projectos com estas características, os recursos humanos e de equipamentos são optimizados para atender quer a população vastamente dispersa em termos geográficos, nas zonas do interior, quer a população mais concentrada das zonas costeiras.

 

Objectivos

Objectivos principais

Promover a criação de estruturas de saúde de utilização comum, tanto funcionais como físicas, no âmbito de um Observatório de saúde que permita o desenho e a elaboração de protocolos de actuação de saúde, sistemas de informação e programas em conjunto de formação de profissionais de ambos os lados da fronteira.

 

Objectivos específicos

Implementar e reforçar o Processo Assistencial Integrado dos Cuidados Paliativos nos Centros de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Detectar precocemente tumores do colo do útero, cólon/ recto e mama, mediante a aplicação de protocolos comuns, monitorização em simultâneo, com novas tecnologias.

 

Tornar possível o acesso a um programa de prevenção secundária e reabilitação cardíaca aos doentes que vivem nesta região.

 

Diminuir a prevalência de obesidade da população infantil de Huelva e do Algarve, aplicando estratégias intersectoriais e programas de formação comuns.

 

Prevenir e detectar precocemente a violência de género aplicando o protocolo de actuação elaborado por um Conselho Interterritorial de Saúde, nos Centros de Saúde. Sensibilizar os profissionais envolvidos.

 

Actividades do projecto

No âmbito do Observatório Transfronteiriço de Saúde realizar-se-ão as seguintes actividades:

Criação de um enquadramento adequado para a promoção de debate entre os profissionais e procura de consenso para a tomada de decisões nas seguintes áreas: violência do género, obesidade infantil, cuidados paliativos, detecção precoce do cancro e estudos sobre infertilidade.

 

Realização de reuniões periódicas e jornadas de trabalho, com profissionais de ambas as regiões, para dar seguimento a estas actividades.

 

Aplicação do processo de cuidados integrados dos Cuidados Paliativos, incluindo estratégias comuns de formação para aquisição e manutenção de competências. Também de adequarão quartos individuais para doentes terminais nos Hospitais/ Centros Hospitalares.

 

Realização de programas de rastreio (colo do útero, cólon/ recto e mama) utilizando as últimas tecnologias disponíveis, por exemplo citologia líquida, identificação do papiloma vírus, kits imunológicos, etc.

 

Dotação dos Centros de Saúde/Hospitais com salas equipadas com material de fisioterapia e de reabilitação para os doentes cardíacos.

 

Desenvolvimento de uma Unidade de referência para o atendimento de pacientes com lesão medular. 

 

Resultados esperados

O Servicio Andaluz de Salud dispõe de um amplo trajecto de cooperação com a Região do Algarve na área da Saúde. Entre os projectos anteriormente realizados destaca-se a criação de uma rede de Telemedicina. No seguimento deste projecto têm vindo a sugerir várias linhas de cooperação entre os profissionais de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Com a criação do Observatório Transfronteiriço de Saúde, espera-se um intercâmbio de informação e o seguimento de diversas áreas de Saúde, num espírito de consenso e de cooperação.

 

Este projecto contribuirá para o objectivo final de eliminar as fronteiras nos cuidados de saúde entre duas regiões semelhantes e vizinhas, estabelecendo uma colaboração permanente.

 

A colocação em marcha do Observatório de Saúde constituirá um instrumento valioso para garantir a colaboração necessária, em temas de prioridades emergentes, que contribuirá para uma melhor prestação de cuidados de saúde aos habitantes das duas Regiões.

 

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0129_0BSERVATORIO_SALUD_5_E

Título do Projecto: Projecto de Cooperação Sanitária entre o Algarve e a Andaluzia – Observatório de Saúde da Região Transfronteiriça

Área de Cooperação: Andaluzia / Alentejo / Algarve

Temática: Cooperação e gestão conjunta para a integração socioeconómica e institucional

Convocatória: Programa Operativo FEDER Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal 2007-2013

 

Beneficiários

Organismos:  Servicio Andaluz de Salud (SAS) (Jefe de fila)

Administração Regional de Saúde do Algarve (Sócio 1)

NUT III:  ES-04-21 Huelva, PT-15-0 Algarve

Região:  Algarve – Andaluzia

País:   Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 2.500.000 euros

Andaluzia: 2.100.000 (FEDER 1.575.000) euros

Algarve: 400.000 (FEDER 300.000) euros

FEDER total aprovado: 1.875.000 euros

 

Calendário

Data de início do projecto: 01-01-2008

Data do fim do projecto: 30-09-2012

 

Caracterização transfronteiriça

Tanto a Região de Huelva como a Região do Algarve pertencem a um contorno geográfico comum, com características similares. Com o desenvolvimento de projectos que aumentam a cooperação e intercâmbio de serviços de saúde contribui-se para a eliminação das barreiras formais existentes.

 

Numa perspectiva de uma assistência de saúde na região transfronteiriça, segura e de alta qualidade, torna-se necessário desenvolver actividades e eventualmente estruturas de utilização comum que possam rentabilizar algumas intervenções, quer diagnósticas quer terapêuticas, de escassa prevalência.

 

Com o desenvolvimento de projectos com estas características, os recursos humanos e de equipamentos são optimizados para atender quer a população vastamente dispersa em termos geográficos, nas zonas do interior, quer a população mais concentrada das zonas costeiras.

 

Objectivos

Objectivos principais

Promover a criação de estruturas de saúde de utilização comum, tanto funcionais como físicas, no âmbito de um Observatório de saúde que permita o desenho e a elaboração de protocolos de actuação de saúde, sistemas de informação e programas em conjunto de formação de profissionais de ambos os lados da fronteira.

 

Objectivos específicos

Implementar e reforçar o Processo Assistencial Integrado dos Cuidados Paliativos nos Centros de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Detectar precocemente tumores do colo do útero, cólon/ recto e mama, mediante a aplicação de protocolos comuns, monitorização em simultâneo, com novas tecnologias.

 

Tornar possível o acesso a um programa de prevenção secundária e reabilitação cardíaca aos doentes que vivem nesta região.

 

Diminuir a prevalência de obesidade da população infantil de Huelva e do Algarve, aplicando estratégias intersectoriais e programas de formação comuns.

 

Prevenir e detectar precocemente a violência de género aplicando o protocolo de actuação elaborado por um Conselho Interterritorial de Saúde, nos Centros de Saúde. Sensibilizar os profissionais envolvidos.

 

Actividades do projecto

No âmbito do Observatório Transfronteiriço de Saúde realizar-se-ão as seguintes actividades:

Criação de um enquadramento adequado para a promoção de debate entre os profissionais e procura de consenso para a tomada de decisões nas seguintes áreas: violência do género, obesidade infantil, cuidados paliativos, detecção precoce do cancro e estudos sobre infertilidade.

 

Realização de reuniões periódicas e jornadas de trabalho, com profissionais de ambas as regiões, para dar seguimento a estas actividades.

 

Aplicação do processo de cuidados integrados dos Cuidados Paliativos, incluindo estratégias comuns de formação para aquisição e manutenção de competências. Também de adequarão quartos individuais para doentes terminais nos Hospitais/ Centros Hospitalares.

 

Realização de programas de rastreio (colo do útero, cólon/ recto e mama) utilizando as últimas tecnologias disponíveis, por exemplo citologia líquida, identificação do papiloma vírus, kits imunológicos, etc.

 

Dotação dos Centros de Saúde/Hospitais com salas equipadas com material de fisioterapia e de reabilitação para os doentes cardíacos.

 

Desenvolvimento de uma Unidade de referência para o atendimento de pacientes com lesão medular. 

 

Resultados esperados

O Servicio Andaluz de Salud dispõe de um amplo trajecto de cooperação com a Região do Algarve na área da Saúde. Entre os projectos anteriormente realizados destaca-se a criação de uma rede de Telemedicina. No seguimento deste projecto têm vindo a sugerir várias linhas de cooperação entre os profissionais de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Com a criação do Observatório Transfronteiriço de Saúde, espera-se um intercâmbio de informação e o seguimento de diversas áreas de Saúde, num espírito de consenso e de cooperação.

 

Este projecto contribuirá para o objectivo final de eliminar as fronteiras nos cuidados de saúde entre duas regiões semelhantes e vizinhas, estabelecendo uma colaboração permanente.

 

A colocação em marcha do Observatório de Saúde constituirá um instrumento valioso para garantir a colaboração necessária, em temas de prioridades emergentes, que contribuirá para uma melhor prestação de cuidados de saúde aos habitantes das duas Regiões.

 

Voltar
Area Cidadão