previous arrow
next arrow
Slider

Observatório de Saúde na Região Transfronteiriça (Algarve – Andaluzia)

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0129_0BSERVATORIO_SALUD_5_E

Título do Projecto: Projecto de Cooperação Sanitária entre o Algarve e a Andaluzia – Observatório de Saúde da Região Transfronteiriça

Área de Cooperação: Andaluzia / Alentejo / Algarve

Temática: Cooperação e gestão conjunta para a integração socioeconómica e institucional

Convocatória: Programa Operativo FEDER Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal 2007-2013

 

Beneficiários

Organismos:  Servicio Andaluz de Salud (SAS) (Jefe de fila)

Administração Regional de Saúde do Algarve (Sócio 1)

NUT III:  ES-04-21 Huelva, PT-15-0 Algarve

Região:  Algarve – Andaluzia

País:   Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 2.500.000 euros

Andaluzia: 2.100.000 (FEDER 1.575.000) euros

Algarve: 400.000 (FEDER 300.000) euros

FEDER total aprovado: 1.875.000 euros

 

Calendário

Data de início do projecto: 01-01-2008

Data do fim do projecto: 30-09-2012

 

Caracterização transfronteiriça

Tanto a Região de Huelva como a Região do Algarve pertencem a um contorno geográfico comum, com características similares. Com o desenvolvimento de projectos que aumentam a cooperação e intercâmbio de serviços de saúde contribui-se para a eliminação das barreiras formais existentes.

 

Numa perspectiva de uma assistência de saúde na região transfronteiriça, segura e de alta qualidade, torna-se necessário desenvolver actividades e eventualmente estruturas de utilização comum que possam rentabilizar algumas intervenções, quer diagnósticas quer terapêuticas, de escassa prevalência.

 

Com o desenvolvimento de projectos com estas características, os recursos humanos e de equipamentos são optimizados para atender quer a população vastamente dispersa em termos geográficos, nas zonas do interior, quer a população mais concentrada das zonas costeiras.

 

Objectivos

Objectivos principais

Promover a criação de estruturas de saúde de utilização comum, tanto funcionais como físicas, no âmbito de um Observatório de saúde que permita o desenho e a elaboração de protocolos de actuação de saúde, sistemas de informação e programas em conjunto de formação de profissionais de ambos os lados da fronteira.

 

Objectivos específicos

Implementar e reforçar o Processo Assistencial Integrado dos Cuidados Paliativos nos Centros de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Detectar precocemente tumores do colo do útero, cólon/ recto e mama, mediante a aplicação de protocolos comuns, monitorização em simultâneo, com novas tecnologias.

 

Tornar possível o acesso a um programa de prevenção secundária e reabilitação cardíaca aos doentes que vivem nesta região.

 

Diminuir a prevalência de obesidade da população infantil de Huelva e do Algarve, aplicando estratégias intersectoriais e programas de formação comuns.

 

Prevenir e detectar precocemente a violência de género aplicando o protocolo de actuação elaborado por um Conselho Interterritorial de Saúde, nos Centros de Saúde. Sensibilizar os profissionais envolvidos.

 

Actividades do projecto

No âmbito do Observatório Transfronteiriço de Saúde realizar-se-ão as seguintes actividades:

Criação de um enquadramento adequado para a promoção de debate entre os profissionais e procura de consenso para a tomada de decisões nas seguintes áreas: violência do género, obesidade infantil, cuidados paliativos, detecção precoce do cancro e estudos sobre infertilidade.

 

Realização de reuniões periódicas e jornadas de trabalho, com profissionais de ambas as regiões, para dar seguimento a estas actividades.

 

Aplicação do processo de cuidados integrados dos Cuidados Paliativos, incluindo estratégias comuns de formação para aquisição e manutenção de competências. Também de adequarão quartos individuais para doentes terminais nos Hospitais/ Centros Hospitalares.

 

Realização de programas de rastreio (colo do útero, cólon/ recto e mama) utilizando as últimas tecnologias disponíveis, por exemplo citologia líquida, identificação do papiloma vírus, kits imunológicos, etc.

 

Dotação dos Centros de Saúde/Hospitais com salas equipadas com material de fisioterapia e de reabilitação para os doentes cardíacos.

 

Desenvolvimento de uma Unidade de referência para o atendimento de pacientes com lesão medular. 

 

Resultados esperados

O Servicio Andaluz de Salud dispõe de um amplo trajecto de cooperação com a Região do Algarve na área da Saúde. Entre os projectos anteriormente realizados destaca-se a criação de uma rede de Telemedicina. No seguimento deste projecto têm vindo a sugerir várias linhas de cooperação entre os profissionais de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Com a criação do Observatório Transfronteiriço de Saúde, espera-se um intercâmbio de informação e o seguimento de diversas áreas de Saúde, num espírito de consenso e de cooperação.

 

Este projecto contribuirá para o objectivo final de eliminar as fronteiras nos cuidados de saúde entre duas regiões semelhantes e vizinhas, estabelecendo uma colaboração permanente.

 

A colocação em marcha do Observatório de Saúde constituirá um instrumento valioso para garantir a colaboração necessária, em temas de prioridades emergentes, que contribuirá para uma melhor prestação de cuidados de saúde aos habitantes das duas Regiões.

 

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0129_0BSERVATORIO_SALUD_5_E

Título do Projecto: Projecto de Cooperação Sanitária entre o Algarve e a Andaluzia – Observatório de Saúde da Região Transfronteiriça

Área de Cooperação: Andaluzia / Alentejo / Algarve

Temática: Cooperação e gestão conjunta para a integração socioeconómica e institucional

Convocatória: Programa Operativo FEDER Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal 2007-2013

 

Beneficiários

Organismos:  Servicio Andaluz de Salud (SAS) (Jefe de fila)

Administração Regional de Saúde do Algarve (Sócio 1)

NUT III:  ES-04-21 Huelva, PT-15-0 Algarve

Região:  Algarve – Andaluzia

País:   Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 2.500.000 euros

Andaluzia: 2.100.000 (FEDER 1.575.000) euros

Algarve: 400.000 (FEDER 300.000) euros

FEDER total aprovado: 1.875.000 euros

 

Calendário

Data de início do projecto: 01-01-2008

Data do fim do projecto: 30-09-2012

 

Caracterização transfronteiriça

Tanto a Região de Huelva como a Região do Algarve pertencem a um contorno geográfico comum, com características similares. Com o desenvolvimento de projectos que aumentam a cooperação e intercâmbio de serviços de saúde contribui-se para a eliminação das barreiras formais existentes.

 

Numa perspectiva de uma assistência de saúde na região transfronteiriça, segura e de alta qualidade, torna-se necessário desenvolver actividades e eventualmente estruturas de utilização comum que possam rentabilizar algumas intervenções, quer diagnósticas quer terapêuticas, de escassa prevalência.

 

Com o desenvolvimento de projectos com estas características, os recursos humanos e de equipamentos são optimizados para atender quer a população vastamente dispersa em termos geográficos, nas zonas do interior, quer a população mais concentrada das zonas costeiras.

 

Objectivos

Objectivos principais

Promover a criação de estruturas de saúde de utilização comum, tanto funcionais como físicas, no âmbito de um Observatório de saúde que permita o desenho e a elaboração de protocolos de actuação de saúde, sistemas de informação e programas em conjunto de formação de profissionais de ambos os lados da fronteira.

 

Objectivos específicos

Implementar e reforçar o Processo Assistencial Integrado dos Cuidados Paliativos nos Centros de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Detectar precocemente tumores do colo do útero, cólon/ recto e mama, mediante a aplicação de protocolos comuns, monitorização em simultâneo, com novas tecnologias.

 

Tornar possível o acesso a um programa de prevenção secundária e reabilitação cardíaca aos doentes que vivem nesta região.

 

Diminuir a prevalência de obesidade da população infantil de Huelva e do Algarve, aplicando estratégias intersectoriais e programas de formação comuns.

 

Prevenir e detectar precocemente a violência de género aplicando o protocolo de actuação elaborado por um Conselho Interterritorial de Saúde, nos Centros de Saúde. Sensibilizar os profissionais envolvidos.

 

Actividades do projecto

No âmbito do Observatório Transfronteiriço de Saúde realizar-se-ão as seguintes actividades:

Criação de um enquadramento adequado para a promoção de debate entre os profissionais e procura de consenso para a tomada de decisões nas seguintes áreas: violência do género, obesidade infantil, cuidados paliativos, detecção precoce do cancro e estudos sobre infertilidade.

 

Realização de reuniões periódicas e jornadas de trabalho, com profissionais de ambas as regiões, para dar seguimento a estas actividades.

 

Aplicação do processo de cuidados integrados dos Cuidados Paliativos, incluindo estratégias comuns de formação para aquisição e manutenção de competências. Também de adequarão quartos individuais para doentes terminais nos Hospitais/ Centros Hospitalares.

 

Realização de programas de rastreio (colo do útero, cólon/ recto e mama) utilizando as últimas tecnologias disponíveis, por exemplo citologia líquida, identificação do papiloma vírus, kits imunológicos, etc.

 

Dotação dos Centros de Saúde/Hospitais com salas equipadas com material de fisioterapia e de reabilitação para os doentes cardíacos.

 

Desenvolvimento de uma Unidade de referência para o atendimento de pacientes com lesão medular. 

 

Resultados esperados

O Servicio Andaluz de Salud dispõe de um amplo trajecto de cooperação com a Região do Algarve na área da Saúde. Entre os projectos anteriormente realizados destaca-se a criação de uma rede de Telemedicina. No seguimento deste projecto têm vindo a sugerir várias linhas de cooperação entre os profissionais de Saúde do Algarve e da Andaluzia.

 

Com a criação do Observatório Transfronteiriço de Saúde, espera-se um intercâmbio de informação e o seguimento de diversas áreas de Saúde, num espírito de consenso e de cooperação.

 

Este projecto contribuirá para o objectivo final de eliminar as fronteiras nos cuidados de saúde entre duas regiões semelhantes e vizinhas, estabelecendo uma colaboração permanente.

 

A colocação em marcha do Observatório de Saúde constituirá um instrumento valioso para garantir a colaboração necessária, em temas de prioridades emergentes, que contribuirá para uma melhor prestação de cuidados de saúde aos habitantes das duas Regiões.

 

Voltar
Area Cidadão
Praesent venenatis Donec sed ultricies Phasellus