Relações Internacionais

POAlgarve_PT2020_FEDER

 

Candidaturas apresentadas pela Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, e aprovadas pelo CRESC ALGARVE 2020 – Programa Operacional Regional do Algarve

 

DESIGNAÇÃO DO PROJETO: Unidades de Saúde Móveis de Proximidade : application-pdf ALG-06-4842-FEDER-000001

OBJETIVO PRINCIPAL: Aquisição de 7 (sete) unidades de saúde móveis de proximidade, para prestação de cuidados de saúde a populações de territórios rurais e de baixa densidade (municípios de Alcoutim, Aljezur, Loulé, Monchique, São Brás de Alportel, Silves e Tavira)

REGIÃO DE INTERVENÇÃO: Algarve – municípios de Alcoutim, Aljezur, Loulé, Monchique, São Brás de Alportel, Silves e Tavira.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA:  Administração Regional de Saúde do Algarve, I. P. (líder e beneficiária não financeira) e câmaras municipais de Alcoutim, Aljezur, Loulé, Monchique, São Brás de Alportel, Silves e Tavira

data de aprovação: 21/12/2016; data de início: 03/10/2016; data de conclusão: 28/09/2018

total elegível: 700.000,00€; apoio da UE: 560.000,00€; apoio público nacional: 140.000,00€

 

DESIGNAÇÃO DO PROJETO: Unidades de Saúde Móveis de Proximidade – 2ª fase:application-pdf ALG-06-4842-FEDER-000002

OBJETIVO PRINCIPAL: Aquisição de 3 (três) unidades de saúde móveis de proximidade, para prestação de cuidados de saúde a populações de territórios rurais e de baixa densidade (municípios de Albufeira, Castro Marim e Portimão)

REGIÃO DE INTERVENÇÃO:  Algarve – municípios de Albufeira, Castro Marim e Portimão.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA: Administração Regional de Saúde do Algarve, I. P. (líder e beneficiária não financeira) e câmaras municipais de Albufeira, Castro Marim e Portimão.

data de aprovação: 21/12/2016; data de início: 06/01/2017; data de conclusão: 31/12/2018

total elegível: 300.000,00€; apoio da UE: 240.000,00€; apoio público nacional: 60.000,00€

OBJETIVOS, ATIVIDADES E RESULTADOS ESPERADOS/ATINGIDOS:

Objetivos da Candidatura: Diminuir a assimetria no acesso aos cuidados de saúde primários do Serviço Nacional de Saúde, assegurando nos territórios rurais e de baixa densidade uma cobertura adequada dos utentes às unidades funcionais dos Agrupamentos de Centros de Saúde do Algarve; Diminuir a probabilidade de populações envelhecidas e isoladas das zonas rurais e de baixa densidade do Algarve não serem seguidos regularmente, de forma programada, pelos cuidados de saúde primários do Serviço Nacional de Saúde; Qualificar a rede de equipamentos de saúde existente, adaptando-a a necessidades prementes e reduzir desigualdades e promover a inclusão social

Atividades: Aquisição de 10 (dez) – 7 (sete) na 1.ª fase e 3 (três) na 2.ª fase – unidades de saúde móveis de proximidade para prestação de cuidados de saúde, equipadas também para diagnóstico, que permitam atuar na prevenção, diagnóstico e vigilância da doença em populações residentes em territórios desfavorecidos – rurais e de baixa densidade – complementando os cuidados de saúde atualmente prestados e, em particular, suprindo deficiências de identificação e intervenção precoce junto das populações

Resultados esperados: Com o alargamento da atual rede de equipamentos de saúde espera-se responder à necessidade geral de garantir cuidados de saúde a populações afastadas da normal prestação de cuidados e à necessidade particular de identificar atempadamente diversas enfermidades características das populações visadas e de intervir precocemente sobre as mesmas, minimizando os prejuízos para a saúde resultantes da menor frequência de consultas de saúde. O investimento previsto tornará mais acessível a prestação de cuidados de saúde em áreas geográficas desfavorecidas, promovendo ainda a inclusão social, maior qualidade de vida e maior igualdade de oportunidades para as suas populações

Indicadores de sucesso da operação: Espera-se contribuir diretamente para o indicador de realização “População abrangida por serviços de saúde melhorados”: meta de 107 039 (1.ª fase) e de 24 610 (2.ª fase) e para o indicador de resultado “n.º de utentes atendidos em unidades de saúde móveis intervencionadas (no 1.º ano após entrada em funcionamento do equipamento)”, através do número de atos programados de prestação de cuidados de saúde: 15 000 (1.ª fase) e 6 000 (2.ª fase).

Consultar:

application-pdf-1ALG-06-4842-FEDER-000001 – Alcoutim

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Aljezur

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Loulé

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Monchique

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – São_Brás de Alportel

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Silves

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Tavira

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000002 – Albufeira

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000002 – Castro_Marim

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000002 – Portimão


DESIGNAÇÃO DO PROJETO:  Sistema de Gestão Documental da ARS Algarve – application-pdf ALG-08-0550-FEDER-000019

OBJETIVO PRINCIPAL: Implementação de um sistema de gestão documental (SGD), promovendo a saúde em linha, para pedido pelo utente e mais célere tramitação e resposta pela ARS Algarve.

REGIÃO DE INTERVENÇÃO:  Todo o território dos dezasseis municípios do Algarve: Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel, Silves, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA: Administração Regional de Saúde do Algarve, I. P.

data de aprovação: 21/12/2016; data de início: 01/01/2017; data de conclusão: 31/12/2018

total elegível: 575.131,6 €; apoio da UE: 460.105,28 €; apoio público nacional: 115.026,32 €

OBJETIVOS, ATIVIDADES E RESULTADOS ESPERADOS/ATINGIDOS:

Objetivos da Candidatura:

O sistema de gestão documental (SGD) promove a saúde em linha, nomeadamente a consulta e obtenção de dados e documentos do processo clínico do utente e outros, diminuindo o esforço e tempo de utentes e profissionais na resposta a pedidos, com ganhos de eficiência, com impacto nos custos de contexto por via do tempo não perdido.

Atividades:

  • Despesas com pessoal para capacitação institucional e assegurar sustentabilidade à operação;
  • Aquisição de bens para arquivo físico de documentos em suporte analógico (papel) de suporte ao SGD;
  • Publicidade e divulgação dos investimentos e dos apoios públicos obtidos;
  • Adequação de instalações elétricas e informáticas;
  • Aquisição de equipamento informático;
  • Desenvolvimento aplicacional (de software) para a organização, produção de manuais e transferência de saber-fazer para a organização.

Resultados esperados:

  • Modernização administrativa da ARS Algarve, pela reorganização e capacitação dos serviços;
  • Evolução da ARS Algarve e seus serviços para organização nativa digital;
  • Responder à necessidade de digitalizar documentação em suporte analógico logo à entrada;
  • Diminuir progressivamente a digitalização à entrada até ao mínimo indispensável à garantia de inclusão e respeito pela preferência do utente na modalidade de interação com a ARS Algarve e seus serviços;
  • Apoiar o utente no interface digital com a ARS Algarve, assegurando serviços de acolhimento e apoio ao utente para registo no SGD das suas solicitações;
  • Incrementar o acesso e a resposta da ARS Algarve, através dos seus sítios institucionais em linha na internet, às necessidades dos utentes, nos próprios sítios ou por ligação às plataformas autónomas com o Portal de Dados em Saúde / Portal do Utente do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o Portal do Cidadão, incluindo por utilização das capacidades de autenticação com o cartão de cidadão e respetiva chave móvel digital, numa lógica de interoperabilidade na Administração Pública.

Indicadores de sucesso da operação: 

  • Realização: Serviços da Administração Pública apoiados: 1 (n.º), 2019 (ano alvo)
  • Resultado: Aumento do n.º de acessos ao “site” da entidade intervencionada: 5000 (n.º), 2019 (ano alvo).

DESIGNAÇÃO DO PROJETO: Formação de Profissionais do Setor da Saúde – application-pdf ALG-06-4538-FSE-000002

OBJETIVO PRINCIPAL: Colmatar as necessidades formativas da ARS do Algarve, IP.

REGIÃO DE INTERVENÇÃO: Região do Algarve

ENTIDADE BENEFICIÁRIA:  Administração Regional de Saúde do Algarve, IP.

data de aprovação: 15/02/2018; data de início: 27/02/2018; data de conclusão: 08/10/2020

total elegível: € 145.951,16; apoio da UE: 116.760,93€; apoio público nacional: 29.190,23€

algarve21.jpg

Candidaturas apresentadas pela Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, e aprovadas pelo PO Algarve 21 (Programa Operacional Algarve 21), inserido no Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) 2007-2013.

 


 

seta_azul_20x20.pngDesignação do Projecto: Conclusão do Centro de Saúde de Portimão

 

Código do Projecto: ALG-03-1448-FEDER-000001

 

Prazo de execução: 16-11-2010 a 16-11-2012

Objeto da candidatura: O projeto consiste na conclusão da construção do novo centro de saúde de Portimão. Esta obra foi anteriormente objeto de financiamento através de projeto aprovado no âmbito do PROALGARVE (inserido no Quadro Comunitário de Apoio III 2001-2006), que terminou antes da conclusão da empreitada de construção. O atual projeto cofinanciado abrange a atualização do projeto técnico de execução de obra e a realização da fase final da empreitada de construção do novo centro de saúde. A nova infraestrutura permite dotar o concelho de Portimão (e a região do Algarve) de uma unidade de saúde capacitada para uma resposta diversificada (cuidados primários e especializados, cuidados na comunidade, atividades na área da saúde pública e vigilância sanitária, entre outros) às necessidades da população abrangida pela área de influência do novo centro.

Objetivos da candidatura:Reforçar a prestação de cuidados de saúde no concelho de Portimão, através da criação de um centro preparado para a primeira linha de cuidados, num quadro de serviços de saúde integral e integrado à população; garantir igualdade de acesso dos cidadãos a melhores serviços; garantir a satisfação dos cidadãos e obter ganhos em saúde.

Resultados do Projeto: O investimento realizado permitiu, entre outros, melhoria da gestão organizacional dos recursos humanos existentes no centro de saúde de Portimão, melhoria da organização dos serviços, melhoria das condições de acesso ao centro de saúde por parte dos utentes (parque de estacionamento para utentes, lugares de estacionamento específicos para deficientes motores, elevadores), existência de instalações e equipamentos adequados como sejam instalações sanitárias adaptadas para pessoas com mobilidade reduzida e fraldário, realização de acolhimento individualizado ao utente (utilização de separadores no atendimento). O novo edifício disponibiliza um maior número de gabinetes de consulta, de salas de espera, e dispõe de espaços de maior dimensão. A nova infraestrutura confere ao centro de saúde uma capacidade de resposta mais adequada às necessidades da população que serve (população residente no concelho de Portimão de 55.209 habitantes, conforme estimativas anuais da população residente, ano 2012, in ine.pt).

O centro de saúde assegura cuidados de saúde a mais de 60 mil utentes, realiza cerca de 116.500 consultas de ambulatório, cerca de 2400 consultas de especialidades médicas e de 1500 de especialidade não médica (ano 2013), entre outras. Realiza ainda em torno de 14 mil inoculações de vacinas e mais de 135 mil contactos de enfermagem (ano 2013).

Investimento elegível aprovado: 2.422.226€

Taxa de co-financiamento: 65%

Co-financiamento aprovado: 1.574.446,90€


 

seta_azul_20x20.pngDesignação do Projecto: Instalação de novas unidades funcionais de saúde – Concelhos de Castro Marim, Lagos, Loulé e Olhão

 

Código do Projecto: ALG-03-1448-FEDER-000002

 

Prazo de execução: 28-10-2009 a 15-02-2012

 

Descrição da candidatura:O projeto consiste na requalificação de espaços, dentro de centros/extensões de saúde, para instalação (e beneficiação) de novas unidades funcionais de saúde – Unidades de Saúde Familiar, Unidades de Cuidados na Comunidade e Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados – nos concelhos de Castro Marim, Lagos, Loulé e Olhão. Estas unidades estão dotadas de autonomia organizativa e técnica e destinam-se à prestação de cuidados primários de saúde de proximidade à população, nas vertentes personalizada e comunitária. O projeto abrange a elaboração de projetos técnicos de execução de obra e a realização de empreitadas de adaptação/beneficiação de espaços, permitindo equipar a região com melhores condições para a prestação de cuidados de saúde de maior qualidade bem como assegurar a continuidade e globalidade desses cuidados.

 

Objectivos da candidatura:Criar unidades de saúde autónomas, instalando-as em espaços adequados à sua atividade, assim promovendo a melhoria das condições de saúde da população; garantir igualdade de acesso dos cidadãos a melhores serviços; garantir a satisfação dos cidadãos e obter ganhos em saúde.

 

Investimento elegível aprovado: 734.307€

Taxa de co-financiamento: 65%

Co-financiamento aprovado: 477.299,55€

 

Resultados do Projeto: A empreitada realizada em Lagos consistiu na reabilitação térmica da cobertura do edifício do centro de saúde por meio da substituição da cobertura de amianto existente por uma outra com isolamento térmico em poliuretano. As restantes trataram da remodelação de partes de edifícios de centros de saúde, nos casos de Olhão e Loulé, e da totalidade do edifício da extensão de saúde de Altura, que também foi objeto de ampliação, para adequação dos espaços às novas unidades de saúde.

O projeto serve a população residente na freguesia de Altura (Castro Marim) e nos concelhos de Lagos, Loulé e Olhão – 149.261 habitantes (dados provisórios referentes a 2011, in ine.pt) -, acrescida da população visitante.

As unidades incluídas no projeto asseguram cuidados de saúde a 180.285 utentes* e realizam cerca de 70.600 consultas de ambulatório (consultas de planeamento familiar, saúde materna, saúde infantil, de adulto, consultas a domicílio)* e cerca de 13.700 contactos de enfermagem [acompanhamento de doentes com tuberculose, grupos de risco (risco cardiovascular, diabetes, hipertensão), etc.]*.

* Valor (aproximado) para 2011


 

seta_azul_20x20.pngDesignação do Projecto: Equipamento de novas unidades funcionais de saúde

 

Código do Projecto: ALG-03-1448-FEDER-000003

 

Prazo de execução: 19-08-2009 a 15-02-2012

 

Descrição da candidatura: O projeto consiste no apetrechamento, com equipamento diverso e softwares específicos, de novas unidades funcionais de saúde – Unidades de Saúde Familiar, Unidades de Cuidados na Comunidade e Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados – em todos os concelhos da região do Algarve. Estas unidades destinam-se à prestação de cuidados primários de saúde de proximidade à população, nas vertentes personalizada e comunitária. O projeto abrange a informatização do processo clínico e administrativo, através da implementação de sistemas de informação específicos, e o apetrechamento com mobiliário e equipamento variados, permitindo equipar a região com melhores condições para a prestação de cuidados de saúde de maior qualidade e assegurar a continuidade e globalidade desses cuidados.

 

Objectivos da candidatura: Dotar a região de equipamentos de saúde de qualidade; garantir igualdade de acesso dos cidadãos a melhores serviços; garantir a satisfação dos cidadãos e obter ganhos em saúde.

Investimento elegível aprovado: 843.463€

Taxa de co-financiamento: 65%

Co-financiamento aprovado: 548.250,95€

Resultados do Projeto: As unidades funcionais de saúde abrangidas pelo investimento em equipamento médico, mobiliário hospitalar, de escritório, e sistemas de informação de apoio à gestão de processos clínicos e administrativos, realizado no âmbito do projeto, foram:

Unidades de Saúde Familiar (USF)

Al-Gharb (Faro), Albufeira (Albufeira), Âncora (Olhão), Guadiana (Castro Marim/Vila Real de Santo António), Monchique (Monchique), Lauroé (Loulé) e Ria Formosa (Faro)

Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC)

Dunas (Portimão), Infante (Lagos), Rio Arade (Silves), Santo António de Arenilha (Vila Real de Santo António) e Talabriga (Tavira)

Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP)

Quarteira (Loulé).

Os servidores instalados em 15 dos 16 concelhos da região do Algarve e no Data Center da ARS Algarve servem todas as unidades de saúde da região.

O projeto serve a totalidade da população residente na região – 451.005 habitantes (dados provisórios referentes a 2011, in ine.pt) -, acrescida da população que a visita.

As unidades servidas pelo projeto asseguram a cobertura em cuidados de saúde a 509.446 utentes* e realizam cerca de 1.138.800 consultas de ambulatório (consultas de planeamento familiar, saúde materna, saúde infantil, de adulto, consultas a domicílio)** e cerca de 80.320 contactos de enfermagem [acompanhamento de doentes com tuberculose, grupos de risco (risco cardiovascular, diabetes, hipertensão), etc.]*.

* Valor para 2011

** Valor (aproximado) para 2011


 

logos_po_algarve_21_1.jpg

 

Voltar
Area Cidadão
pulvinar at sed eleifend non venenatis, dictum elit. dolor