Teleradiologia

A implementação de um sistema de telerradiologia a nível da ARS Algarve, teve início em Setembro de 2006, com o objectivo inicial de estabelecer uma ligação entre os sete Centros de Saúde, que têm serviço de radiologia na região do Algarve (Albufeira, Faro, Loulé, Olhão, Silves, Tavira e Vila Real de Sto. António), uma unidade móvel de rastreio para despiste de TP (Tuberculose Pulmonar) e os dois Hospitais à data existentes na região (e que mais tarde se fundiram no Centro Hospitalar do Algarve).

Nesta fase, foram adquiridos digitalizadores e estações de trabalho Fujifilm para todos os serviços de radiologia da ARS Algarve, com o intuito de colocar estes serviços a produzirem imagens diagnósticas digitais, e foram ligados ao sistema PACS (Picture Archiving and Communication System) – sistema que possibilita o armazenamento e comunicação de imagens médicas numa rede informática – do Hospital de Faro, que também era de tecnologia Fujifilm. De referir que este processo ficou concluído em Maio de 2007, e que a partir desta data tanto os clínicos das diferentes Unidades da ARS Algarve, como os clínicos do hospital de Faro da região passaram a ter acesso aos exames produzidos tanto nos serviços de radiologia dos hospitais, como nos serviços da radiologia dos centros de Saúde da ARS Algarve, através dos computadores individuais de trabalho instalados nos gabinetes médicos.

Assim todas as imagens radiológicas produzidas nos Centros de Saúde com serviço de radiologia da região do Algarve, entre Maio de 2007 e Dezembro de 2008, foram armazenadas no sistema PACS do Hospital de Faro. No entanto, com o aumento da produção de imagens nos Serviços dos diversos Centros de Saúde da região (cerca de 50.000/ano) tornou-se necessário a aquisição de um novo hardware e um novo PACS para a ARS Algarve, o que ocorreu em 2009. A partir desta data, as imagens produzidas pelos serviços de radiologia doa Centros de Saúde pertencentes à ARS Algarve passaram a ser armazenadas no sistema PACS da ARS Algarve, continuando no entanto a ser possível visualizar nos hospitais da região as imagens radiodiagnósticas adquiridas nos diferentes serviços da radiologia da ARS Algarve, bem como nos centros de Saúde se continuou a ter acesso às imagens dos serviços de radiologia do Centro Hospitalar do Algarve.

Em Setembro de 2015 a Unidade Móvel de Radiologia utilizada para deteção e prevenção da TP, que já se encontrava previamente equipada com um sistema de digitalização e tratamento de imagem, foi provida com rede 4G/LTE, que para além de outras vantagens, possibilita o envio imediato das imagens executadas nos rastreios (nos diferentes locais onde estes são executados) para o sistema PACS da ARS Algarve, o que confere a todo o processo maior segurança e celeridade.

No desenrolar de todo este processo de implementação da telerradiologia a nível da ARS Algarve é de destacar a excelente aceitação que teve por parte dos profissionais, tanto do pessoal clínico como dos Técnicos de Radiologia, que conseguiram minimizar alguns problemas decorrentes da implementação de um novo projeto, e exponenciar as vantagens inerentes ao mesmo. De salientar também alguns fatores, que se consideram terem favorecido a boa implementação deste projeto, tais como:

  • A existência de responsáveis claros pelo seu desenvolvimento e controlo;
  • O fato dos utilizadores (médicos e técnicos de radiologia) terem sido sistematicamente inquiridos e envolvidos no processo;

Embora este projeto de implementação de um sistema de telerradiologia na ARS Algarve, já leve quase uma década desde a sua fase embrionária, é um projeto que está em constante evolução e aperfeiçoamento (ou não fosse relacionado com as novas tecnologias), que incrementa uma série de oportunidades que devem ser exploradas e implementadas paulatinamente, tendo em conta as necessidades do serviço.

Num futuro próximo existe a intenção de desenvolvimento deste projeto:

  • A ligação do serviço de Radiologia do CMRSUL (Centro de Medicina de Reabilitação), que faz parte dos Serviços de Radiologia da ARS Algarve ao sistema PACS da ARS Algarve;
  • A utilização da capacidade já instalada na ARS Algarve a nível da telerradiologia, para que se possam obter relatórios à distancia (realizados em outros pontos do País ou do mundo) de imagens produzidas nos serviços de Radiologia da ARS Algarve, assegurando toda a confidencialidade dos dados relativos aos utentes.  

 

Area Cidadão