VE das Infeções Nosocomiais da Corrente Sanguínea

Coordenado pela Dr.ª Elaine Pina e pela Enfermeira Maria Goreti Gouveia Martins Silva

Contatos: Direção-Geral da Saúde, Alameda D. Afonso Henriques, nº 45, 1049-005 Lisboa. Telefone: 218 430 500, E-mail: goretigouveia.silva@gmail.com

Com a colaboração dos seguintes elementos:

Dr. Luís Marques Lito, Hospital de Santa Maria – Laboratório de Bacteriologia, 1649-035 Lisboa, Tel: 217805000 – ext. 1472, E-mail: lmlito@hsm.min-saude.pt

Enfermeira Maria Etelvina Ferreira etelvina.lima@gmail.com

Enfermeira Elena Noriega enoriega@dgs.pt ou enoriega6@gmail.com

Telefone: 218 430 825

 

A infeção Nosocomial da Corrente Sanguínea (INCS) constitui uma das infecções nosocomiais (IN) mais importantes já que contribui para o aumento da mortalidade e morbilidade hospitalares e dos custos na prestação de cuidados de saúde. Este programa, tem por objetivos:

  • fornecer aos hospitais participantes, um protocolo padronizado, de modo a permitir calcular a taxa de INCS numa amostra representativa de hospitais;
  • conhecer os microrganismos mais frequentemente implicados nas INCS e comparar a sua realidade com os resultados globais os hospitais participantes;
  • obter informação sobre os principais factores de risco de INCS relacionados com a presença de dispositivos invasivos e as situações clínicas de maior risco;
  • promover acções conjuntas inter-institucionais que contribuam para a melhoria dos cuidados prestados;
  • motivar as Comissões de Controlo de infeção (CCI) para a VE e promover a interação entre as CCI e os Laboratórios de Microbiologia.

O registo oficial das INCS teve início em Janeiro de 2002. Até 2010,os dados foram registados numa base de dados em ACCESS para ser utilizada pelas Unidades aderentes. Em 2010 foi disponibilizada uma base em rede nacional onde os dados passaram a ser registados pelas unidades aderentes. O tratamento de dados é centralizado no PNCI e os resultados globais são divulgados anualmente.

A base de dados deste programa está disponível em rede www.insa-rios.net

Para aderir ao Programa de Vigilância da Infeção Nosocomial da Corrente Sanguínea (INCS) deverá tomar conhecimento do Protocolo de Vigilância (Protocolo, Formulário Individual e Formulário Calendário), ler e assinar o Compromisso de Adesão ao Programa e enviar este último para a DGS segundo as instruções inclusas no documento.

Relatório de vigilância epidemiológica das infeções da corrente sanguínea. O presente relatório  apresenta os resultados da vigilância epidemiológica (VE) das infeções nosocomiais da corrente sanguínea (INCS) no ano de 2010

Area Cidadão