Apoio Psicológico a utentes e profissionais covid -19
banner_receitas poéticas
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_verao&saude_sns
banner_vacinacao_covid
covid_regras_2
banner_GABINETESAUDEMENTAL_covid19_3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

133 Médicos internos iniciaram em janeiro de 2014 o internato médico na Região do Algarve

 

Vinte e quatro médicos internos de diversas especialidades hospitalares, dezoito internos de Medicina Geral e Familiar, três de Saúde Pública do concurso para Internato Médico 2013/A – Formação Especifica e oitenta e oito médicos internos do Ano Comum, que iniciaram a sua formação durante o mês de janeiro, nos Agrupamentos de Centros de Saúde e nas unidades hospitalares do Centro Hospitalar do Algarve, pertencentes à área de influência da Administração Regional de Saúde do Algarve IP, foram recebidos esta quinta-feira, 23 de janeiro, na sessão de recepção de boas vindas, organizada pelo Conselho Distrital do Algarve da Ordem dos Médicos do Algarve.

A sessão que decorreu na Sede Distrital da Ordem dos Médicos em Faro, contou com a presença do Presidente do Conselho Distrital do Algarve da Ordem dos Médicos, Dr. Ulisses Brito, da Presidente da Mesa da Assembleia Distrital da Ordem dos Médicos do Algarve, Dra. Assunção Martinez, do Dr. Jaime Mendes do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos, em representação do Bastonário da Ordem dos Médicos, e do Presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve IP, Dr. João Moura Reis, que nas suas intervenções, aproveitaram o momento para felicitar todos os internos por terem escolhido a Região do Algarve para realizarem o internato, sublinhando que «terão todo o apoio e todo o acompanhamento necessário» no seu percurso formativo.

Na sua intervenção o Presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve,IP, mostrou-se satisfeito pelo «aumento significativo do número de internos que se tem verificado nos últimos anos a escolherem o Algarve para realizar o internato, tanto nos cuidados de saúde primários como nos hospitais», salientando que a Região do Algarve oferece as condições ideais para «uma rápida e fácil integração, proporcionando uma melhor aprendizagem e uma maior valorização profissional».

A terminar, o Dr. João Moura Reis, referiu ainda que da parte da ARS Algarve, nomeadamente da Comissão Regional do internato Médico, dos Diretores dos Internato Médico do Centro Hospitalar do Algarve, da Diretora de Internato do Algarve, assim como dos orientadores e de todos os profissionais de saúde da Região, «tudo farão para que se sintam bem» e que «terão todo o apoio e acompanhamento necessário ao longo do vosso internato e da vossa estadia na nossa Região», deixando o desejo para que no final da formação «optem por ficar connosco e perseguir o vosso percurso profissional na Região, pois serão muito bem-vindos».

Dos dezoito internos de Medicina Geral e Familiar colocados nos três Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) da Região do Algarve, onze irão realizar a sua formação no ACES Central (um na UCSP Olhão; dois na USF Mirante; um na USF Ria Formosa; dois na USF Lauroé; dois na USF Farol; dois na UCSP Quarteira e um na USF Albufeira); três no ACES do Barlavento (um em Lagos; um em Portimão e um em Vila do Bispo) e quatro no ACES do Sotavento (um na USCP Real Clinic; um na USF Balsa e um na USF Guadiana). Enquanto que, dos três internos de Saúde Pública ficará um em cada ACES.

No que diz respeito ao Centro Hospitalar do Algarve foram colocados vinte e quatro internos das seguintes especialidades: um de Cardiologia; um de Cirurgia Geral; dois de Ginecologia/Obstetrícia; três de Medicina Física e Reabilitação; seis de Medicina Interna; um de Oncologia médica; dois de Ortopedia; um de Patologia Clínica; um de Pneumologia, quatro de Psiquiatria, um de Radiologia e um de Urologia.

Além dos Médicos Internos de especialidade, a Região recebeu oitenta e oito médicos Internos do Ano Comum, para estágios nos Serviços de Saúde da Região. Para estes Internos, do denominado Ano Comum, constitui-se como o primeiro ano de trabalho na profissão, no País, sendo que a grande maioria terminou o Curso de Medicina no último ano lectivo. Praticam uma medicina tutelada, não tendo autonomia técnica.

ARS Algarve IP
Voltar
RSE - Area Cidadão