rastreio retinopatia diabética
Banner_SemanaTeste_2022
banners_antibioticos2022
i035812
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

ARS Algarve,I.P. assinala Dia Mundial da Saúde

imagem da OMS Dia Mundial SaúdeA Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, promoveu no dia 9 de Abril de 2008, no âmbito do Dia Mundial da Saúde, sob o tema «Proteger a Saúde face aos efeitos das alterações climáticas», duas palestras no auditório da Faculdade de Engenharia e Recursos Naturais da Universidade do Algarve no Campus das Gambelas.

imagem da OMS Dia Mundial SaúdeA Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, promoveu no dia 9 de Abril de 2008, no âmbito do Dia Mundial da Saúde, sob o tema «Proteger a Saúde face aos efeitos das alterações climáticas», duas palestras no auditório da Faculdade de Engenharia e Recursos Naturais da Universidade do Algarve no Campus das Gambelas.

 

Abordando o tema «Alterações Climáticas e Saúde – Ciência e Ficção», a prelectora Professora Doutora Cristina Veiga Pires, docente da Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente da Universidade do Algarve, estipulou, numa apresentação feita juntamente com a Professora Doutora Maria João Bebianno e a Professora Doutora Delminda Moura, que as alterações climáticas estão longe de acontecer só no mundo na ficção e que esta nova realidade, que pode vir a afectar o dia-a-dia de nós todos, já é um facto dado que as alterações estão a acontecer já desde os anos 60, ou seja desde há «um período com um mínimo de 30 anos», e que a saúde do homem está cada vez mais afectada por problemas nutricionais, patológicos e ambientais.

 

Imagem Palestra Alterações climáticas e SaúdeAs ondas de calor sentidas nos últimos anos (1981, 1991, 2003 e 2006) é outro problema que foi destacado por Dr. Baltazar Nunes, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) de Lisboa, que falou sobre «Ondas de Calor e Hospitais Climatizados». 

 

Referindo a este novo estudo, que dentro de em breve será apresentado no seu todo a nível nacional, conclui que os hospitais ao equiparem os seus serviços de internamento com ar-condicionado reduzem, numa situação de onda de calor, o risco de morte de «40 por cento» entre as pessoas internadas, sobretudo pessoas idosas e pessoas que sofrem de problemas cardíacos e infecções, realçando, no entanto, que «a climatização do serviço é mais a resposta ao problema do que o próprio ar-condicionado», funcionando esse como complemento aos cuidados a ter como hidratação dos utentes e roupas leves nas camas.

 

As mudanças climáticas: um problema para o sector da saúde

O Dia Mundial da Saúde celebra-se a 7 de Abril, tendo a Organização Mundial da Saúde escolhido como tema este ano «Proteger a saúde face aos efeitos das alterações climáticas», assentando assim no reconhecimento de que as alterações climáticas colocam ameaças cada vez mais sérias à saúde pública global. 

 

Os perigos que representam para a saúde, as mudanças climáticas são de natureza diversa e mundial, e vão desde o aumento do risco de fenómenos meteorológicos extremos a mudanças na dinâmica das doenças infecciosas. Muitas das doenças mais mortíferas são sensíveis às condições climáticas, quer no que respeita ao aparecimento de novos casos quer à sua propagação.

 

Algumas das repercussões sobre a saúde motivadas pelas mudanças climáticas já são manifestas: aumento da mortalidade pelo efeito das ondas de calor; variações no número de novos casos das doenças transmitidas por vectores e alterações na ocorrência de desastres naturais.

 

Estas repercussões afectarão de uma forma desproporcionada as populações mais vulneráveis: crianças pequenas, idosos, doentes e populações isoladas.A vulnerabilidade também é maior nas zonas: com doenças endémicas sensíveis ao clima; com grave escassez de água e escassa produção de alimentos.Nestas circunstâncias, as repercussões das mudanças climáticas na saúde serão dificilmente reversíveis em anos ou decénios. ´

 

No entanto, muitas dessas repercussões são evitáveis ou controláveis, através de medidas como: controlo dos vectores; a redução da contaminação provocada pelos meios de transportes (aumento da utilização da bicicleta, de veículos não poluentes e do transporte público em detrimento do transporte em automóveis privados); o uso eficiente da água.Muitas destas medidas necessárias para evitar os efeitos das mudanças climáticas na saúde, tem ainda sobre ela efeitos positivos, melhorando a qualidade do ar e a saúde respiratória e reduzindo as mortes prematuras, reduzindo o excesso de peso e a obesidade, bem como as medidas com elas relacionadas.

 

Voltar
RSE - Area Cidadão