rastreio retinopatia diabética
Banner_SemanaTeste_2022
banners_antibioticos2022
i035812
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

Curso da EURACT ensina métodos de avaliação a profissionais de saúde

image

Clínicos e especialistas em Medicina Geral e Familiar oriundos da Bósnia, Grécia, Irlanda, Lituânia, Moldávia, Portugal e Reino Unido, estiveram reunidos entre os dias 2 e 5 de Dezembro em Faro, para se tornarem melhores professores e formadores, ganhando novas experiências e práticas na área da avaliação, através de um curso intensivo realizado em Faro no âmbito da European Academy of Teachers in General Practice (EURACT).

image

Clínicos e especialistas em Medicina Geral e Familiar oriundos da Bósnia, Grécia, Irlanda, Lituânia, Moldávia, Portugal e Reino Unido, estiveram reunidos entre os dias 2 e 5 de Dezembro em Faro, para se tornarem melhores professores e formadores, ganhando novas experiências e práticas na área da avaliação, através de um curso intensivo realizado em Faro no âmbito da European Academy of Teachers in General Practice (EURACT).

 

Com o objectivo de aprender sobre a arte de fazer avaliação enquanto profissionais de saúde, e transmitir essas competências e metodologias através do ensino, cerca de três dezenas de Médicos de Família vindos dos quatro cantos da Europa juntaram-se no Hotel Faro, numa formação da EURACT, que tem por objectivo a harmonização do ensino e a aprendizagem da Medicina Geral e Familiar (MGF), melhorando as capacidades dos médicos na área do ensino.

 

«É mais um curso de ensino do que de Medicina e é muito intenso», explicou o Dr. Luís Filipe Gomes, Médico especialista em Medicina Geral e Familiar no Algarve, membro do Conselho da EURACT, e um dos impulsionadores das formações da EURACT em Portugal. Aqui os participantes aprendem e debatem em plenário e em grupo como se faz um bom teste, como avaliar uma pessoa no seu local de consulta através do «Objective Structive Clinical Examination», um modelo frequentemente utilizado a nível europeu mas que «não se faz em Portugal», segundo o médico, estando no entanto este modelo previsto para ser desenhado para os alunos no Curso de Medicina na Universidade do Algarve.

 image

«Os candidatos passam por 10-12 estações onde há num local, por exemplo, um doente simulado com um cancro e com seis meses de vida. Noutra estação têm que avaliar um electrocardiograma. Numa terceira têm que observar um paciente. Vemos como cumprimentam o paciente, se foi educado, se executou os testes necessários. Trata-se de avaliar não só conhecimentos, mas também aptidões e atitudes», explicou o Dr. Luís Filipe Gomes, realçando que o modelo serve para tornar os formandos «melhores profissionais, melhores pessoas e melhores professores».

 

Uma das participantes do Algarve, a Dra. Helena Boavida, responsável pela Unidade de Saúde Familiar Farol em Faro (ACES Central), participou pela segunda vez numa formação da EURACT realizada no Algarve. «Este ambiente internacional permite um cruzamento interessante de experiências a nível metodológico e prático. Podemos pensar em alternativas às metodologias que utilizamos na nossa prática de Medicina Geral e Familiar. São formas de avaliação criativas e cientificamente testadas que deverão ser utilizadas nos nossos internos mas também aplicadas para os orientadores evoluírem em termos de aptidões e para os profissionais de saúde, de forma contínua, ao longo da carreira».

 

A Presidente da EURACT, Dra. Egle Zebiene, da Lituânia, veio para partilhar a sua experiência com os novos participantes, sublinhando que o grande interesse demonstrado pelos profissionais de saúde em participar demonstra claramente «a necessidade existente» neste tipo de formações. «A avaliação é um assunto bastante complexo de tratar mas muito importante», realçou. «Temos de avaliar os nosso formandos e formadores para saber se estamos a proceder bem e se o desenvolvimento é aquele que pretendemos. Juntamos aqui peritos na área que nos ensinam de forma interactiva e participativa nas metodologias de alto nível europeu e tanto os formandos como os professores saem daqui com muitos conhecimentos actualizados», disse, sublinhando que o objectivo final «é sempre garantir um serviço de saúde seguro e de alta qualidade aos doentes» praticados por profissionais de saúde que são preparados e competentes.

 

Tendo sido já realizado na Polónia e em Itália, este curso da EURACT inteiramente dedicado à avaliação a nível Europeu, será em breve replicado para médicos a nível nacional.

image
Voltar
RSE - Area Cidadão