Apoio Psicológico a utentes e profissionais covid -19
banner_receitas poéticas
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_verao&saude_sns
banner_vacinacao_covid
covid_regras_2
banner_GABINETESAUDEMENTAL_covid19_3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

Dia Mundial da Alimentação

wfdposter_hp_en.jpgO Dia Mundial da Alimentação, a 16 de Outubro, comemora a criação da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), sendo o tema proposto a nível mundial para este ano «O preço dos alimentos – da crise à estabilidade». Portugal associa-se a esta comemoração assinalando este dia com uma reflexão sobre a coexistência de uma alimentação saudável a baixo preço.

 

 

 

wfdposter_hp_en.jpgO Dia Mundial da Alimentação, a 16 de Outubro, comemora a criação da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), sendo o tema proposto a nível mundial para este ano «O preço dos alimentos – da crise à estabilidade». Portugal associa-se a esta comemoração assinalando este dia com uma reflexão sobre a coexistência de uma alimentação saudável a baixo preço.

 

 

 

 

 

 

 

O aumento drástico nos preços dos alimentos, constituem uma séria ameaça para a segurança alimentar nos países em desenvolvimento. Os pobres são os mais afetados. De acordo com o Banco Mundial em 2010-2011, os custos crescentes dos alimentos causou cerca de 70 milhões de pessoas em extrema pobreza.

 

«O preço dos alimentos: da crise à estabilidade» foi escolhido como o tema do Dia Mundial da Alimentação deste ano para lançar luz sobre esta tendência e volatilidade de medidas que podem ser tomadas para mitigar os seus efeitos na população mais vulnerável.

 

No Dia Mundial da Alimentação 2011, analisam-se em profundidade as causas da variação dos preços dos alimentos e tomam-se medidas para reduzir o seu impacto sobre os membros mais fracos da sociedade global.

 

O Gabinete de Nutrição da Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, sem prejuízo do equilíbrio e da diversidade alimentar que uma alimentação saudável exige, sugere algumas recomendações para contornar a questão do preço dos alimentos:

 

Planear as refeições e listar os ingredientes necessários para cada uma, atendendo ao número de elementos na família;

 

Elaborar previamente a lista de alimentos a comprar, considerando a planificação das refeições para um determinado período de tempo;

 

 –Comprar os alimentos sem sentir fome, sempre após uma refeição;

 

Consultar os rótulos das embalagens, tendo atenção especial à relação preço/ quantidade de produto (nem sempre as embalagens maiores correspondem ao menor custo);

 

Preferir os frutos e os hortícolas da época;

 

Optar pela carne mais barata (aves e porco) consumindo pouca quantidade, conforme sugere a Roda dos Alimentos;

 

Preferir peixe congelado a peixe fresco;

 

Incluir as leguminosas (feijão, soja, grão, lentilhas, ervilhas, favas) na preparação das refeições, substituindo ou complementando a carne ou o peixe, dado o seu elevado teor em proteína;

 

Alternar carne e o peixe com ovos, fornecedores proteicos de elevada qualidade;

 

Evitar os alimentos processados, ricos em gordura, sal ou açúcar;

 

Iniciar o almoço e o jantar com sopa, de forma a gerir melhor o apetite para o 2.º prato;

 

Eleger a água como bebida para acompanhar as refeições;

 

Substituir os refrigerantes por limonadas ou infusões de ervas preparadas em casa;

 

Preferir demolhar as leguminosas secas, em vez de as comprar sob a forma de embalagem enlatada ou frasco de vidro;

 

Preferir alimentos horto frutícolas da época;

 

Observar atentamente o rótulo dos produtos alimentares de «marca branca», os quais podem ser uma boa alternativa aos seus equivalentes de outras marcas;

 

Levar alimentos de casa para as merendas da manhã e da tarde;

 

Preparar a refeição do almoço em casa, aquecendo no local de trabalho, ou usando mala térmica;

 

Estruturar a compra dos alimentos com a menor frequência possível.

 

Finalmente, resta-nos salientar que a poupança também pode passar por ir às compras a pé, sempre que possível. A promoção da saúde, sustentada em cuidados alimentares e prática regular de atividade física, contribui certamente para evitar, também, as despesas em saúde.

Mais informações: Portal da Saúde

Direcção-Geral da Saúde

Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação 

wfdposter_hp_en.jpg
Voltar
RSE - Area Cidadão