Apoio Psicológico a utentes e profissionais covid -19
banner_receitas poéticas
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_verao&saude_sns
banner_vacinacao_covid
covid_regras_2
banner_GABINETESAUDEMENTAL_covid19_3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

Esclarecimento da ARS Algarve,IP – Infecção Hospitalar por Clostridium difficile no Hospital de Faro, EPE

imagemDivulgação do esclarecimento da Administração Regional de Saúde do Algarve, IP relativamente aos resultados do Relatório da Inspecção Geral das Actividades em Saúde (IGAS) acerca da infecção hospitalar por Clostridium difficile no Hospital de Faro, EPE.

imagemDivulgação do esclarecimento da Administração Regional de Saúde do Algarve, IP relativamente aos resultados do Relatório da Inspecção Geral das Actividades em Saúde (IGAS) acerca da infecção hospitalar por Clostridium difficile no Hospital de Faro, EPE.

Na sequência das notícias vindas a público nos passados dias 8 e 9 de Maio, acerca da presença da bactéria Clostridium difficile em doentes internados no Hospital de Faro EPE, bem como da divulgação na comunicação social dos dias 17 e 18 de Maio das conclusões do relatório da Inspecção Geral das Actividades em Saúde, e onde não são apontados elementos concretos ou factos reais que ponham em causa as medidas adoptadas para controlo e resolução infecção detectada, ou o comportamento dos profissionais do Hospital de Faro, EPE, entende o Conselho Directivo da ARS Algarve, IP proceder ao seguinte esclarecimento:

 

  • 1. O Conselho Directivo da ARS Algarve, acompanha de perto no âmbito das suas funções, através do Departamento de Saúde Pública todas as situações que digam respeito à ” Segurança dos Doentes”;

 

  • 2. O Clostridium difficile é uma bactéria que está, naturalmente, presente na flora intestinal de cerca de 3ª a 5% da população adulta e 66% das crianças. Habitualmente, não causa problemas nas pessoas saudáveis. No entanto, nas pessoas debilitadas, pela idade e por doenças crónicas, submetidas a medicação com antibióticos, a bactéria pode multiplicar-se e causar sintomas como diarreia e febre, podendo provocar colite, perfuração do intestino e septicemia. A infecção ocorre sobretudo em meio hospitalar e em lares de idosos, podendo existir pessoas na comunidade portadoras da bactéria que se mantenham sem sintomas;

 

  • 3. De acordo com os dados constantes do relatório da IGAS e já anteriormente publicitados pelo Hospital, não se verificou qualquer nexo de causalidade entre a morte de alguns dos doentes portadores da bactéria e a presença de infecção;

 

  • 4. O Hospital de Faro, EPE adoptou todos os procedimentos e recomendações indicadas pela Comissão de Controlo e Infecção, adequados para prevenir, diagnosticar e conter os casos de clostridium difficile em meio hospitalar, conforme reconhece o relatório da IGAS de 14 de Maio 2009;

 

A terminar o Conselho Directivo da ARS Algarve, IP, assegura a todos os cidadãos que o Departamento de Saúde Pública da ARS, IP e a Autoridade de Saúde Regional acompanham de perto e em consonância com os responsáveis hospitalares todas as situações que possam por em causa a segurança dos doentes, desenvolvendo os procedimentos adequados e tomando as medidas necessárias para prevenir e combater esta e outras infecções com manifestação hospitalar. Não podendo deixar de chamar a atenção de todos, para a necessidade de prevenir a transmissão deste microrganismo, através do cumprimento rigoroso das regras de higiene das mãos e do uso criterioso de antibióticos, em particular os de largo espectro.

 

Faro, 2009-05-18

Mais informações: imagemESCLARECIMENTO DA DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE –  Infecção por Clostridium difficile

imagem
Voltar
RSE - Area Cidadão