rastreio retinopatia diabética
Banner_SemanaTeste_2022
banners_antibioticos2022
i035812
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

Hospital de Faro EPE alcança Nível de Excelência Clínica II no Sistema Nacional de Avaliação em Saúde

imagemGinecologia, Obstetrícia, Ortopedia e Pediatria são as especialidades em que o Hospital de Faro EPE alcançou recentemente o nível de Excelência Clinica II no Sistema Nacional de Avaliação em Saúde, um rating que coloca lado a lado os hospitais nacionais e avalia a excelência e qualidade dos cuidados de saúde prestados à população. No mesmo âmbito, o Hospital de Faro EPE integra actualmente programas de acreditação nacional e vários projectos de qualidade nacionais e internacionais com o objectivo de garantir a melhoria contínua na prestação de cuidados mantendo elevados padrões de qualidade.

 

imagemGinecologia, Obstetrícia, Ortopedia e Pediatria são as especialidades em que o Hospital de Faro EPE alcançou recentemente o nível de Excelência Clinica II no Sistema Nacional de Avaliação em Saúde, um rating que coloca lado a lado os hospitais nacionais e avalia a excelência e qualidade dos cuidados de saúde prestados à população. No mesmo âmbito, o Hospital de Faro EPE integra actualmente programas de acreditação nacional e vários projectos de qualidade nacionais e internacionais com o objectivo de garantir a melhoria contínua na prestação de cuidados mantendo elevados padrões de qualidade.

 

 

Esta aposta sólida na implementação de sistemas de qualidade, na adopção de modelos de acreditação e na aplicação de sistemas nacionais de avaliação, sustentada na visão global do Plano Estratégico, já está a a dar os seus frutos colocando o Hospital de Faro ao lado dos melhores a nível nacional.

Exemplo desse trabalho diário em prol da qualidade são os recentes dados publicados no site do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde que atribuem ao Hospital de Faro, incluído no rating dos hospitais nacionais, o nível de Excelência Clinica II em especialidades como a Ginecologia, a Obstetrícia, a Ortopedia e a Pediatria.

 

 

 imagem_1_hf_saude_qualidade.jpg

 

Fonte: http://www.websinas.com/sinas/resultados_individuais.aspx?id=P036

De acordo com o Hospital de Faro, os resultados apresentados referem-se apenas a algumas especialidades avaliadas até ao momento. No caso da Ortopedia os resultados respeitam aos cuidados prestados aos doentes padrão submetidos a artroplastia total da anca ou do joelho e fratura proximal do fémur. Os dados apresentados na especialidade de Ginecologia dizem respeito à avaliação dos cuidados prestados a utentes submetidas a histerectomias ou cirurgias ginecológicas.

Na área de Obstetrícia os resultados referem-se à prestação de cuidados a mulheres com partos referenciados. Quanto à Pediatria a excelência clinica nível II atribuída refere-se aos cuidados prestados a recém-nascidos e a crianças com pneumonia.

 

Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS) 

É o primeiro sistema de avaliação na área da saúde a nível nacional que visa avaliar, de forma objectiva e consistente, a qualidade dos cuidados de saúde em Portugal, com base em indicadores de avaliação que permitam obter um rating dos prestadores.

Os princípios orientadores do sistema baseiam-se em três grandes áreas: a melhoria da informação sobre a qualidade do sistema de saúde; a melhoria contínua dos cuidados prestados através da disponibilização pública da avaliação da qualidade dos prestadores de cuidados de saúde e o incremento da capacidade de escolha do utente.

 

Mais do que uma aposta, uma filosofia de Qualidade

 

efqm.jpgQualidade e Acreditação são dois dos indicadores cada vez mais presentes na filosofia e nos processos de gestão e de avaliação das instituições públicas de saúde. O objectivo primordial visa sempre a melhoria contínua dos serviços e dos procedimentos nos quais os utentes são sempre o centro de toda a atenção.

Pensando e agindo de forma transversal, um dos projectos em curso no Hospital de Faro é o Modelo de Excelência da European Foundation for Quality Management (EFQM).

Trata-se de um modelo de qualidade integrada que se destina a medir e a promover a excelência nas organizações prestadoras de serviços.

Conhecido pela sua capacidade de autoavaliação, este modelo pretende ser um instrumento regulador de avaliação das atividades e dos resultados da nossa organização de saúde.

Implementado em 2010 no Hospital de Faro, o projecto está agora em fase de consolidação, tendo já registado significativos avanços nos seguintes serviços: Cirurgia de Ambulatório, Farmácia, Hospital de Dia, Urgências, Imagiologia, Laboratório, Anatomia Patológica, Consulta externa, Gastrenterologia, Bloco Operatório, Serviços de Instalações e Equipamentos, Aprovisionamento, Serviços Financeiros – Receita, Recursos Humanos e Sistemas de Informação.

 

 

Atenção redobrada ao risco clínico 

Porque o utente é o centro de toda a atenção ao nível da prestação de cuidados, o Hospital de Faro implementou no início de 2011 o Projecto da Gestão dos Riscos Clínicos. Direccionado especialmente para as áreas assistenciais e clínicas, este projecto pretende promover a redução das situações de risco, para os doentes/familiares, profissionais e visitantes. 

Este sistema de gestão de qualidade e risco, com visão de futuro e orientado para a obtenção de critérios de excelência clínica, está dotado de ferramentas que lhe permitem efectuar uma gestão centrada nas acções potenciadoras de risco. 

Baseado num sistema informático de suporte à gestão, o projecto pretende: aumentar o nível de notificação; identificar sistematicamente os riscos clínicos e as causas; definir as medidas para reduzir e gerir possíveis riscos; bem como controlar e efectuar o acompanhamento dos indicadores. 

De acordo com a Directora Clinica do Hospital de Faro, Dra Helena Gomes, «este é um projecto que envolve os profissionais. Procuramos a qualidade em tudo o que fazemos e com este projecto estaremos mais sensibilizados para o facto dos riscos poderem ser controlados. É importante que os incidentes sejam relatados, pois representam uma oportunidade para melhorar procedimentos».

Desde o início do projecto até à presente data foram relatadas 192 ocorrências, algumas das quais já foram resolvidas, estando outras em fase de avaliação para posterior intervenção.

 

Acreditação: um caminho em prol melhoria contínua

untitled2.jpgConsiderando a acreditação como um factor determinante para a satisfação e confiança dos utentes nos serviços de saúde, o Hospital de Faro integra ainda actualmente o Programa Nacional de Acreditação em Saúde.

Integrado na Estratégia Nacional para a Qualidade na Saúde e desenvolvido pela Direcção Geral da Saúde através do seu Departamento de Qualidade, o programa assenta numa metodologia de trabalho que tem como objectivo impulsionar e fomentar processos de melhoria continua, aplicados transversalmente e de forma integradora a todos os elementos, com o objectivo de observar e reconhecer até que ponto as tecnologias, as instituições e os profissionais correspondem aos critérios de qualidade estabelecidos, permitindo assim a criação de padrões de referência que nos permitem avançar no caminho da excelência.

O programa está em perfeita sintonia com os planos e as ferramentas de gestão, designadamente a gestão clínica e a gestão por processos, incluindo os processos assistenciais integrados, a gestão por competências e ainda a gestão do conhecimento.

Importa ressalvar que este projecto tem como referência os diferentes programas de saúde, os processos assistenciais integrados e os processos de suporte, os contratos de gestão e ainda as recomendações sobre as melhores práticas clínicas conhecidas. De igual modo, a segurança dos utentes e dos profissionais, bem como suas necessidades e expectativas assumem-se como critérios referenciais.

A abordagem à Qualidade é feita de forma integral através de programas de acreditação direcionados para diferentes áreas dos cuidados de saúde.

O programa tem uma estrutura comum que cobre as áreas-chave de gestão da qualidade, direccionados para:

– O cidadão, centro do sistema de saúde

– A organização da atividade centrada no utente

– Os profissionais

– Os processos de suporte

– Os resultados

 

A metodologia de aplicação do programa é rigorosa e assenta em autoavaliações, avaliações externas por equipas de avaliadores qualificados, observação de campo, entrevistas e análise de dados, documentação e procedimentos.

Trata-se pois de um processo dinâmico, contínuo e evolutivo, que proporciona uma reflexão sobre os momentos atuais de desenvolvimento da qualidade na organização, bem como sobre o seu potencial de evolução e crescimento.

No Hospital de Faro o projecto está ainda na segunda fase que corresponde ao importante capítulo da autoavaliação. O impulso e desenvolvido está neste momento a ser efectuado pelos profissionais da Área Materno-infantil, mais concretamente nos Serviços de Pediatria e Ginecologia/Obstetrícia.

 

 untitled3.jpg

 

Objetivos específicos do Programa Nacional de Acreditação em Saúde:

1. Implementação do Modelo Nacional de Acreditação em Saúde.

2. Avaliação do impacto do Modelo Nacional de Acreditação em Saúde, em termos de qualidade e segurança.

3. Reconhecimento do Modelo Nacional Acreditação em Saúde.

 

Ao lado dos melhores a nível europeu

Com o objetivo de garantir critérios de qualidade definidos a nível europeu, o Hospital de Faro integra atualmente o Projeto Duque (Deepening our Understanding of Quality improvement in Europe), um projeto europeu que pretende estudar a efetividade dos sistemas de melhoria da qualidade nos hospitais.

duque2.jpgCentrado na melhoria da qualidade nos hospitais o projeto afere os resultados em termos de efetividade clínica, segurança do doente e resultados identificados pelos doentes. Para tal objetivo é avaliada a relação entre os sistemas de melhoria da qualidade organizacional, o envolvimento dos profissionais, o contributo e perceção dos doentes e a qualidade dos cuidados hospitalares.

Os dados são recolhidos através de um estudo transversal e observacional de hospitais europeus. Realizada em hospitais selecionados aleatoriamente nos 8 países participantes, há ainda a destacar uma recolha adicional de dados em 4 diagnósticos (acidente vascular cerebral, enfarte agudo do miocárdio, frature do colo do fémur e partos).

O projeto avalia ainda, através da aplicação de um inquérito, as seguintes medidas ao nível hospitalar/departamental: pressão externa, governação do hospital, sistemas de gestão da qualidade, cultura organizacional e envolvimento dos profissionais e ainda o empowerment dos doentes na melhoria da qualidade, através da avaliação de aspetos como a efetividade clínica, a segurança e o envolvimento do doente.

Para medição destes indicadores vão ser realizadas auditorias aos registos clínicos, efetuada observação e aplicados inquéritos. Adicionalmente, serão recolhidos indicadores genéricos de segurança do doente e efetividade clínica de cada hospital recorrendo a dados administrativos.

Os principais resultados deste trabalho resultam numa orientação para o hospital garantindo uma abordagem aprofundada sobre a efetividade das estratégias da qualidade e segurança.

 

Fonte: Hospital de Faro, EPE

imagem
Voltar
RSE - Area Cidadão