Apoio Psicológico a utentes e profissionais covid -19
banner_receitas poéticas
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_verao&saude_sns
banner_vacinacao_covid
covid_regras_2
banner_GABINETESAUDEMENTAL_covid19_3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

Médicos colombianos permitem dar médico de família a mais de 22.000 pessoas no Algarve

imagem

A Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, contratou 13 médicos de nacionalidade colombiana, ao abrigo de um Protocolo estabelecido entre os Ministérios da saúde de Portugal e Colômbia, por um período de três anos, permitindo dar médico de família a mais de 22.000 pessoas.

 

 

imagem

A Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, contratou 13 médicos de nacionalidade colombiana, ao abrigo de um Protocolo estabelecido entre os Ministérios da saúde de Portugal e Colômbia, por um período de três anos, permitindo dar médico de família a mais de 22.000 pessoas.

 

 

 

Os médicos colombianos vão trabalhar nos Centros de Saúde de Aljezur, Vila do Bispo, Lagos, Portimão, Silves, Albufeira, Loulé e Olhão, exercendo ainda funções nos Serviços de Urgência Básicos de Albufeira, Loulé e Vila Real de Santo António. Os 13 médicos que vão dar médico de família a mais 22.000 pessoas, estão já inscritos na Ordem dos Médicos, possuindo todas as habilitações necessárias para exercício livre da Medicina em Portugal, depois de anteriormente terem visto reconhecidas as suas licenciaturas por uma Faculdade de Medicina portuguesa.

 

Desde 2005, que o Ministério da Saúde e a ARS Algarve, IP., têm vindo a tomar várias medidas estruturais para resolver a falta de médicos, em particular de Médicos de Família, no Serviço Nacional de Saúde e na região do Algarve.

 

Entre estas destacam-se:

– O aumento das vagas no curso de Medicina, sendo que no ano lectivo 2010/2011 serão admitidos no primeiro ano 1778 alunos;

– A criação do curso de Medicina na Universidade do Algarve em 2009/2010, visando atrair novos profissionais para o Sul do país;

– O aumento elevado do número de médicos em formação na especialidade de Medicina Geral e Familiar. No Algarve o número de médicos em formação no internato da especialidade passou de 18 em 2005 para 36 em 2011, em 2011 entrarão para o internato da especialidade no Algarve, 11 jovens médicos;

– A reorganização dos serviços através da criação de 9 Unidades de Saúde Familiar, 282 no país, hoje em funcionamento, que permitiram dar já acesso a Médico de Família a mais de 16.000 utentes, 452.447 no país;

 

O Ministério da Saúde prosseguirá o actual esforço de recrutamento de novos médicos em vários países, no quadro de acordos de cooperação entre Estados, e respeitando as carências que outros países também têm, de acordo com o princípio da reciprocidade.

imagem
Voltar
RSE - Area Cidadão