Apoio Psicológico a utentes e profissionais covid -19
banner_receitas poéticas
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_verao&saude_sns
banner_vacinacao_covid
covid_regras_2
banner_GABINETESAUDEMENTAL_covid19_3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

Otorrino do CHA Portimão reconhecido internacionalmente pela criação dispositivo inovador

Armin Bidarian Moniri, Otorrinolaringologista do CHAlgarve, EPE desenvolveu um novo método não invasivo para o tratamento da otite serosa em crianças. Este procedimento consiste, em linhas gerais, num dispositivo, com a aparência de um pequeno brinquedo, que ajuda no equilíbrio da pressão e arejamento do ouvido médio da criança, em tratamento de otite serosa persistente em crianças.

Este procedimento, muito eficaz no tratamento desta patologia tem uma posologia recomendada de quatro semanas, entre cinco a 10 minutos por dia, para evitar uma intervenção cirúrgica, em cerca de 80 por cento dos casos”.

A inspiração para o desenvolvimento deste dispositivo foram as crianças algarvias, muito ligadas às atividades aquáticas. A identificação da patologia e o posterior recurso à cirurgia acaba por limitar-lhes, de alguma forma, a sua qualidade de vida pois torna mais seletivo o acesso a essas mesmas atividades.

O procedimento foi idealizado, desde 2010, com o apoio e colaboração do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de Portimão – dos especialistas, Dr. Ilídio Gonçalves (Diretor de Serviço), Dra. Lourdes Moreno, Dr. Rúben Rojas e Dr. Jean-Pierre Castro, da Técnica de Audiologia, Maria João Ramos, e da Enfermeiras Natália Santos e Sandra Correia. Entretanto, já foram realizados dois estudos clínicos, um deles envolvendo 20 crianças e um segundo envolvendo 45 crianças. Os resultados foram divulgados na publicação «International Journal of Pediatric Otorhinolaryngology».

Este procedimento não evasivo e sem efeitos colaterais conhecidos, foi patenteado com o nome Moniri-Otovent e vai ser comercializado, por uma empresa sueca, até 2015. E brevemente iniciarão, mais uma vez com o apoio da equipa Hospital de Portimão, uma nova fase de estudos em parceria com instituições hospitalares suecas, italianas e austríacas.

O projeto, integrado na sua tese de Doutoramento valeu ao Dr. Armin Bidarian Moniri o reconhecimento do seu país natal, pelas mãos da Rainha Sílvia da Suécia, no passado dia 22 de janeiro, numa Cerimónia no Castelo de Estocolmo. Foi reconhecido através de uma Fundação com o nome da rainha, que foi criada aquando dos seus 50 anos e que visa reconhecer e apoiar os projetos inovadores ligados à melhoria da qualidade de vida de crianças com deficiência.

Voltar
RSE - Area Cidadão