Apoio Psicológico a utentes e profissionais covid -19
banner_receitas poéticas
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_verao&saude_sns
banner_vacinacao_covid
covid_regras_2
banner_GABINETESAUDEMENTAL_covid19_3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

Programa de Rastreio do Cancro da Mama do Algarve apresentado no Encontro «Duas Décadas de Rastreio do Cancro da Mama em Portugal» promovido pela Liga Portuguesa Contra o Cancro

encontro_lpcc_6.jpg

O trabalho desenvolvido no âmbito do Programa de Rastreio do Cancro da Mama do Algarve foi apresentado no Encontro «Duas Décadas de Rastreio de Cancro da Mama em Portugal», integrado nas comemorações dos 70 anos da Liga Portuguesa Contra o Cancro e organizado pelo Núcleo Regional do Centro da LPCC, nos dias 14 e 15 de Abril, no Hotel Vila Galé em Coimbra, reunindo cerca de 150 profissionais de saúde nacionais e estrangeiros com o objectivo de fomentar a troca de experiências entre os responsáveis dos rastreios realizados nas várias regiões do país e contribuir para uma actualização de conhecimentos e criação de uma rede informal entre todos os profissionais da área.

 

encontro_lpcc_6.jpg

O trabalho desenvolvido no âmbito do Programa de Rastreio do Cancro da Mama do Algarve foi apresentado no Encontro «Duas Décadas de Rastreio de Cancro da Mama em Portugal», integrado nas comemorações dos 70 anos da Liga Portuguesa Contra o Cancro e organizado pelo Núcleo Regional do Centro da LPCC, nos dias 14 e 15 de Abril, no Hotel Vila Galé em Coimbra, reunindo cerca de 150 profissionais de saúde nacionais e estrangeiros com o objectivo de fomentar a troca de experiências entre os responsáveis dos rastreios realizados nas várias regiões do país e contribuir para uma actualização de conhecimentos e criação de uma rede informal entre todos os profissionais da área.

 

 

encontro_lpcc_9.jpgA convite da Liga Portuguesa Contra o Cancro, a Administração Regional de Saúde do Algarve IP representada pela Coordenadora do Núcleo de Rastreios da ARS Algarve IP, Dra Filomena Horta Correia, participou no dia 15 de Abril na sessão dedicada à apresentação dos diferentes programas de rastreio do cancro da mama realizados em Portugal, entre eles, o da Região Centro, apresentado pelo Dr. António Morais, o da Região Sul, representado pelo Dr. Fernando Lopes, o da Região Norte, pelo Dr. João Carvalho, o da Região Autónoma da Madeira, pelo Dr. Carlos Andrade e o da Região Autónoma dos Açores pela Dra Eva Garcia.

 

Na sessão, moderada pelo Coordenador Nacional para as Doenças Oncológicas, Dr. Manuel António Silva, a Coordenadora do Núcleo de Rastreios da ARS Algarve IP, após uma breve caracterização da região algarvia, explicou de que forma tem sido implementado o rastreio do cancro da mama na região desde o seu inicio em Setembro de 2005, referindo os benefícios deste tipo de rastreio organizado pela ARS Algarve IP em colaboração com a Associação Oncológica do Algarve e quais os resultados alcançados até ao momento.

 

encontro_lpcc_8.jpg«O nosso objectivo geral é a diminuição da morbilidade e da mortalidade na população feminina no Algarve, sendo que temos como objectivos mais específicos a detecção precoce do cancro da mama, o aumento das taxas de sobrevivência, o aumento das taxas de adesão, assim como a diminuição das abordagens terapêuticas mais agressivas e uma melhoria da efectividade terapêutica», salientou a Dra Filomena Horta Correia explicando que a Unidade Móvel de Rastreio percorre todos os concelhos da região algarvia. Sendo que, as mulheres elegíveis são submetidas a uma mamografia digital, gratuita, a cada 2 anos, na 1.ª volta do rastreio (2005 a 2008) abrangeu as mulheres dos 50 aos 65 anos, a 2.ª volta do rastreio (2008 a 2010) abrangeu as mulheres dos 50 aos 67 anos e a partir da 3.ª volta o rastreio abrange as mulheres dos 50 aos 69 anos.

 

Durante a sua intervenção, a responsável pelo Programa de Rastreio do Cancro da Mama do Algarve destacou o aumento da taxa de adesão alcançada da 1ª para a 2ª volta, sublinhando que «o nosso crescimento foi de 14%, passamos de 44% da 1ª volta para 58% na 2ª volta, e neste momento, em que se encontra a decorrer a 3ª volta, que já abrangeu metade da população algarvia, estamos com valores de 67% em termos de taxa de adesão».

 

encontro_lpcc_5.jpgNuma análise comparativa dos resultados da 1ª para a 2ª volta, «todos os concelhos mantiveram valores elevados», tendo-se «verificado um aumento da taxa de adesão em relação à 1ª volta em todos os concelhos, à excepção de Faro e Portimão que mantiveram os valores», explicou a Coordenadora do Núcleo de Rastreios da ARS Algarve IP, frisando que «os concelhos do interior revelaram uma forte adesão e aumento em relação aos anos anteriores, não existindo diferenças entre populações da serra e barrocal em relação ao litoral».

 

Relativamente ao número de cancros diagnosticados na 1ª e 2ª volta por Agrupamento de Centros de Saúde (ACES), verificou-se também um aumento, nomeadamente no ACES Central (26 na 1ª volta; 42 na 2ª volta), referiu a Coordenadora do Núcleo de Rastreios da ARS Algarve IP, explicando que «o ligeiro aumento quer do número de mamografias positivas quer do número de cancros diagnosticados, está relacionado com o crescimento da taxa de adesão».

 

encontro_lpcc_4.jpgA terminar a sua intervenção a responsável deixou algumas das propostas com vista a melhorar a implementação do programa do rastreio do cancro da mama no Algarve: «Em primeiro lugar, melhorar e ampliar um sistema de informação a nível dos hospitais o que nos vai permitir uma uniformização de critérios e de disponibilização de dados para todos e a avaliação dos mesmos», em segundo lugar «pretendemos continuar a divulgar estes resultados na RIS e em reuniões com os profissionais de saúde da região, como forma de reforço de articulação entre os serviços e sensibilização para o rastreio»; em terceiro «apostar no aumento da periodicidade das reuniões do grupo coordenador, de modo a que nós possamos implementar a avaliação de qualidade do programa e realizar a parte de investigação a que nos propusemos fazer».

 

No final das apresentações dos seis programas de rastreio assistiu-se a um período de debate e troca de experiências entre os vários intervenientes e os restantes profissionais de saúde que se encontravam a participar no encontro.

 

encontro_lpcc_10.jpgA sessão de encerramento contou com a presença do Presidente da Liga Portuguesa Contra o Cancro, Prof. Dr. Carlos Freire de Oliveira, do responsável da Comissão organizadora do Encontro, Prof. Vítor Rodrigues, dos representantes dos Governos das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores e do Presidente da ARS Algarve IP, Dr. Rui Lourenço, que aproveitou o momento para agradecer o convite da Liga Portuguesa Contra o Cancro à ARS Algarve IP para participar neste encontro, elogiando o trabalho realizado por todos os profissionais envolvidos no rastreio do cancro da mama no país, lembrou que neste momento «temos de trabalhar de forma colectiva na aproximação das metodologias de todos os rastreios», de modo a «darmos saltos muitos significativos em termos quantitativos e qualitativos» no futuro nesta área. 

 

De referir que o primeiro dia do encontro foi dedicado as apresentações de especialistas internacionais que no decorrer das suas intervenções partilharam as suas realidades do rastreio de cancro da mama quer a nível da implementação; organização e monitorização, com principal destaque para os indicadores de performance e cancros de intervalo e avaliação.

 

encontro_lpcc_1.jpgModerada pelo Presidente da Liga Portuguesa Contra o Cancro, Prof. Dr. Carlos Freire de Oliveira, a primeira sessão foi dedicada à apresentação da realidade do rastreio do cancro da mama na Europa, tendo contado com a participação do Coordenador Europeu de cancro da mama de Lyon, Dr. Lawrence Von Karsa, seguindo-se o Professor da Faculdade de Medicina de Coimbra e ex-Coordenador dos Programas da Liga Portuguesa Contra o Cancro, Vítor Rodrigues, que apresentou o percurso da implementação e desenvolvimento do rastreio de cancro da mama em Portugal nas últimas duas décadas. De seguida, foram apresentadas as realidades do programa do Reino Unido, pela Subdirectora dos Programas de Rastreios Ingleses, Dra Sarah Sellars, a realidade da rede espanhola, pela Coordenadora do Programa de Pamplona, Dra Nieves Ascunce, terminando a sessão com o Responsável do Programa de Rastreio de Geneve, Dr. Chris de Wolf, que falou sobre o desenvolvimento do rastreio do cancro da mama na Europa.

 

 

encontro_lpcc_3.jpgA tarde foi dedicada à apresentação de trabalhos sobre a monitorização e avaliação dos rastreios do cancro da mama, numa sessão moderada pelo Prof. Vítor Rodrigues, que contou com a participação do Epidemologista e responsável pela monitorização e avaliação dos programas de rastreio de Itália, Dr.António Ponti, que falou sobre a importância dos indicadores de rendimento, seguindo-se o Oncologista clínico e coordenador dos programas de rastreio na região de Estocolmo, Dr. Sven Törnberg, que abordou o tema dos cancros de intervalo. A avaliação do rastreio pela análise da mortalidade foi o tema seguinte abordado pelo Estaticista e membro da avaliação dos Programas Suecos, Hakan Jonsson e pela Epidemiologista e coordenadora científica do grupo de avaliação dos Programas Holandeses Dra Mireille Broeders. A terminar a sessão o Radiologista e Professor de Radiologia da Faculdade de Turku – Finlândia, e Consultor do IARC e da OMS, Dr. Peter Dean, abordou a questão dos benefícios e dos riscos do rastreio de cancro da mama.

 

Organizado pelo Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro, este Encontro, patrocinado pela Fujifilm, contou com a participação de profissionais e autoridades de saúde das cinco Administrações Regionais de Saúde do Continente, das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, dos três Institutos Portugueses de Oncologia e de representantes de alguns hospitais que recebem utentes dos programas de rastreio, da Fundação Gulbenkian, da Fundação Champalimaud, da Associação Laço e dos Programas de Rastreio e Núcleos da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

 

Mais informações:

 

Liga Portuguesa Contra o Cancro

 

Programa de Rastreio do Cancro da Mama do Algarve

encontro_lpcc_6.jpg
Voltar
RSE - Area Cidadão