rastreio retinopatia diabética
Banner_SemanaTeste_2022
banners_antibioticos2022
i035812
folheto_rastreio_retinopatia_BANNER2
banners_site2017_mamografia3
banner_obrigado_covid19
previous arrow
next arrow

XXV Encontro Nacional de Psiquiatria da Infância e da Adolescência em Faro

Sob o lema «Entre Corpo e Pensamento», o XXV Encontro Nacional de Psiquiatria da Infância e da Adolescência, promovido pela Associação Portuguesa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência (APPIA) e coorganizado pela Unidade de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Centro Hospitalar do Algarve, juntou cerca de duas centenas de profissionais de saúde nos dias 14 e 16 de maio de 2014, na Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve, em Faro, para trocarem experiências sobre as diversas áreas de intervenção na saúde mental infantil e da adolescência e refletirem sobre a melhor forma de garantir um acompanhamento e tratamento eficiente e de qualidade a todas as crianças que necessitem de apoio.

No decorrer da sessão oficial de abertura do Encontro, na presença dos elementos da comissão organizadora e direção do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar do Algarve, Dra Maria do Carmo Marcelino e Dra Ana Cristina Trindade, da direção da APPIA, Dr. Augusto Carreira, da representante do diretor do Programa Nacional Saúde Mental, Dra Conceição Almeida, e do presidente da Câmara Municipal de Faro, Dr. Rogério Bacalhau, o presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve IP, Dr. Moura Reis, salientou a importância deste tipo de fóruns para fomentar a troca de experiências e de debate sobre a «adoção de estratégias que visem o apoio aos pais, educadores e sobretudo às crianças», agradecendo ainda à comissão organizadora e à Direção da Associação Portuguesa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência pela escolha da região de saúde do Algarve para realizarem o encontro este ano.

Na sua intervenção, o Presidente da ARS Algarve IP destacou o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos pelos profissionais de saúde no Algarve na área da promoção da saúde nas crianças e jovens com «a implementação de vários projetos e programas regionais, nomeadamente, os Grupos de Apoio à Saúde Mental Infantil (GASMI), que tanto na área da prevenção da saúde mental, como na promoção das competências parentais e na promoção de estilos de vida saudáveis junto das crianças e jovens da região», «têm permitido uma melhoria contínua e sustentada da prestação de cuidados de saúde e apoio das crianças na Região do Algarve».

A terminar, o Dr. Moura Reis, aproveitou o momento para destacar «umas das imagens de marca do excelente trabalho desenvolvido pelos profissionais dos GASMI», designadamente, o GASMI de Olhão que em parceria com a Unidade de Cuidados na Comunidade Olhar+ do ACES Central, e o Município de Olhão, através da Rede Social e da CPCJ de Olhão, no final do mês de maio irão promover mais uma edição da Semana do Bébé do concelho de Olhão. «Um projeto de prevenção simples que vai já para a sua sexta edição e que com um conjunto de diversas atividades promovidas ao longo de uma semana envolve toda a comunidade olhanense em volta das questões da parentalidade e da importância de uma relação saudável com os filhos a partir dos primeiros anos de vida como factores fundamentais para a saúde e bem-estar das crianças», sublinhou deixando o convite a todos os presentes para participarem.

Das diversas mesas redondas dedicadas a temas multidimensionais da psiquiatria da infância e da adolescência, de destacar o painel sob o tema «articulação com os cuidados de saúde primários», que contou com a participação de um conjunto de profissionais das equipas dos GASMI que deixaram o testemunho da sua experiência ao longo dos últimos anos de trabalho neste projeto através da apresentação da história «dramatizada e teatralizada» de alguns casos de crianças que foram acompanhadas pelos Grupos de Apoio à Saúde Mental Infantil (GASMI) do Algarve.

O reforço da articulação entre os serviços de saúde mental infanto-juvenil e outras estruturas ligadas à saúde, educação, serviços sociais e direito de menores e família; a necessidade de criação de programas para a primeira infância, designadamente de aconselhamento pré-natal, intervenção precoce, formação parental, prevenção da violência doméstica e do abuso infantil, intervenções familiares e resolução de conflitos; a necessidade de encontrar novos modelos de intervenção e a importância de desenvolver um trabalho de natureza preventiva, centrado nas famílias e na comunidade, baseado numa intervenção dinâmica e holística em torno da problemática da saúde mental infantil, foram algumas das questões abordadas no decorrer do Encontro.

O Encontro arrancou no dia 14 de maio com a realização de um workshop pré-encontro sob o tema «Intervenção Familiar e Sistémica na Adolescência: A mudança nas histórias e nas relações da família», tendo contado no dia 15 de maio com a participação do neurocientista italiano, Pier Francesco Ferrari, que proferiu uma conferência sobre o tema «Connecting the body with the mind through our mirror neuron system. Theoretical and clinical implications».

Voltar
RSE - Area Cidadão